Caminhão poderá circular da Bandeirantes ao Cebolão

Mudança tem como objetivo evitar problemas de abastecimento na Ceagesp

Valéria França, O Estado de S.Paulo

08 Dezembro 2011 | 03h02

Caminhões que abastecem a Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp) não serão afetados pela restrição de circulação de veículos pesados que entra em vigor na segunda-feira. Na Marginal do Tietê, o acesso ficará livre em todos os horários entre a Rodovia dos Bandeirantes e o Cebolão e, na Marginal do Pinheiros, entre a Ponte do Jaguaré e o Cebolão - como já ocorre atualmente. A mudança tem como objetivo evitar problemas de abastecimento na Ceagesp.

A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) ainda deve anunciar outras alterações nas áreas onde a circulação de caminhões será proibida de segunda a sexta-feira, das 4h às 10h e entre 16h e 22h, e no fim de semana, das 10h às 14h, exceto feriados. Mas deve continuar proibido o trânsito de caminhões ao longo das Avenidas do Estado, Salim Farah Maluf, Professor Luís Inácio de Anhaia Melo, Tancredo Neves, Presidente Wilson, do Estado, Pais de Barros, Ermano Marchetti, Marquês de São Vicente e Rua das Juntas Provisórias.

Quem furar a restrição estará sujeito a multa de R$ 85,13, além de 4 pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH). Mas radares e fiscais só deverão começar a multar em janeiro - motoristas terão um mês de prazo para se adaptar às novas regras. Nesse período, agentes de trânsito vão orientar sobre a nova restrição e duas mil faixas e placas informarão os motoristas.

A CET pretende ainda aumentar em 20% o fluxo de veículos e diminuir acidentes. Só pela Marginal do Tietê circulam diariamente 350 mil veículos - 75 mil caminhões.

Isentos. Ficam livres para circular Veículos Urbanos de Carga (VUCs), caminhões de coleta de lixo, concretagem, dos Correios, de feiras livres, de mudança, de serviços públicos de emergência ou essenciais, de remoção de entulho e transporte de caçambas, de socorro mecânico, de alimentos perecíveis e de cargas perigosas. Mas todos dessa lista terão de se cadastrar na Prefeitura. Caso contrário, também serão autuados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.