Caminhão mata 5 na Via Anhanguera

Cinco operários morreram e um ficou gravemente ferido ao ser atropelados por um caminhão no km 302 da Via Anhanguera, em Ribeirão Preto, interior de São Paulo, ontem de manhã.

RENATO ALVES , ESPECIAL PARA O ESTADO, RIBEIRÃO PRETO, O Estado de S.Paulo

21 de setembro de 2011 | 03h03

Marcos Aurélio Quintino, de 42 anos, motorista do caminhão com placa de Barra Mansa (RJ), foi preso e autuado em flagrante por homicídio doloso (com intenção de matar). Em depoimento à Polícia Civil, ele admitiu ter tomado oito comprimidos de estimulante, pois estava há 20 horas dirigindo sem dormir. Segundo os policiais, o remédio faz efeito apenas por um período e compromete os reflexos depois. Quintino não ficou ferido. Ele fez o teste do bafômetro e não estava embriagado.

O caminhão, carregado com bobinas de fio de aço, invadiu uma faixa da rodovia que estava interditada para recapeamento, sentido interior-capital, e atingiu trabalhadores da empresa Leão Engenharia S.A. que faziam os reparos. Luciano Nunes Costa, de 38 anos, foi levado em estado grave para o Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto, mas não corre risco de morte.

Segundo a Autovias, concessionária que administra a Anhanguera, o local das obras estava corretamente sinalizado, com indicativos e placas 4 quilômetros antes.

O caminhão será periciado para verificar se houve falha mecânica. O acidente aconteceu por volta das 9 horas e provocou um congestionamento de pelo menos 4 quilômetros. / COLABORARAM SOLANGE SPIGLIATTI e MARCELA GONSALVES

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.