Caminhão da Prefeitura joga lixo em córrego

Subprefeitura de M'Boi Mirim, na zona sul, estuda punição administrativa para prestadora de serviço; funcionários responderão por crime ambiental

Tiago Dantas / Jornal da Tarde, O Estado de S.Paulo

30 de julho de 2010 | 00h00

Um caminhão a serviço da Subprefeitura de M" Boi Mirim foi flagrado ontem à tarde jogando entulho em um córrego no Campo Limpo, zona sul de São Paulo. Na segunda-feira, entrou em vigor lei que aumentou de R$ 500 para R$ 12 mil a multa por descarte irregular de lixo. Desde então, fiscais da administração já registraram oito casos, entre eles o do veículo da terceirizada.

Segundo a Prefeitura, o caminhão foi apreendido e o motorista e seu ajudante foram levados para o 48° Distrito Policial (Cidade Dutra), onde seriam autuados por crime ambiental e multados em R$ 12 mil. A Secretaria de Coordenação das Subprefeituras estuda aplicar medida administrativa contra a empresa dona do veículo, já que a infração ocorreu quando ela prestava serviço para a Prefeitura.

Outros dois casos semelhantes foram registrados ontem de madrugada na zona sul. Motoristas de um caminhão do tipo caçamba e de um veículo de passeio foram detidos jogando lixo em uma rua de Parelheiros. Ao longo do dia, a Prefeitura distribuiu multas também em Itaquera e São Miguel Paulista, na zona leste, e na Lapa, zona oeste, onde foram registrados três casos. Cerca de sete toneladas de entulho foram apreendidas, segundo estimativa da Secretaria das Subprefeituras.

Nem todo o lixo apreendido era formado por restos de material de construção. Em um dos casos da Lapa, dois comerciantes da Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp) e um carroceiro foram detidos largando caixotes e restos de frutas e legumes na Rua Mofarrej, na Vila Leopoldina, zona oeste da capital. O trio foi autuado por crime ambiental na Delegacia do Meio Ambiente, na Consolação, centro.

Blitze. Os oito flagrantes de ontem são resultado de uma operação contra o descarte irregular de lixo montada pela Secretaria das Subprefeituras, com o apoio da Secretaria de Serviços, da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb), da Guarda Civil Metropolitana e das Polícias Militar e Civil.

Cada uma das 31 subprefeituras identificou os pontos e os horários onde o descarte irregular de entulho acontecia com frequência. Os dados foram passados para os fiscais montarem a força-tarefa. Uma operação semelhante, feita entre 18 e 26 de fevereiro, terminou com 31 autuações e 22 veículos apreendidos. Na época, quem era flagrado jogando lixo na rua era multado em R$ 500.

Descarte. A Secretaria das Subprefeituras informou que móveis e eletrodomésticos velhos devem ser jogados fora durante as operações cata bagulho realizadas periodicamente pelas 31 subprefeituras da cidade.

Já os restos de construção civil podem ser levados a um dos 36 ecopontos da cidade, que recebem até um metro cúbico de entulho por habitante, o equivalente a uma caixa d"água de mil litros. Há ainda a possibilidade de contratar caçambas regularizadas. Segundo a Prefeitura, o descarte irregular de lixo pode ser denunciado de forma anônima nas praças de atendimento das subprefeituras, pelo telefone 156 ou pelo site da Prefeitura (sac.prefeitura.sp.gov.br). Nesse mesmo endereço é possível saber os locais onde estão instalados os ecopontos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.