Werther Santana/AE–24/6/2011
Werther Santana/AE–24/6/2011

Câmeras vão ficar do lado de fora do Parque do Ibirapuera

Aparelhos em postes e em cima da Bienal e do antigo prédio do Detran vão monitorar os principais acessos

Luísa Alcalde, O Estado de S.Paulo

27 de junho de 2011 | 00h00

A Prefeitura vai instalar 11 câmeras para monitorar os acessos do Parque do Ibirapuera, na zona sul de São Paulo, além de todo o entorno da área verde de 1,5 km². Nove equipamentos ficarão em mastros de até 60 metros de altura ou em postes fora da área verde, próximos de portões. Dois estarão no topo dos prédios da Bienal e do antigo Departamento Estadual de Trânsito (Detran).

A empresa ganhadora da licitação é subsidiária da Telefônica. Ela já foi contratada e tem de entregar tudo pronto em até três meses. O anúncio foi feito quarta-feira, em reunião do Conselho Gestor do Parque do Ibirapuera (CGPI) convocada pelo secretário Municipal de Segurança Urbana, Edson Ortega.

A administração municipal optou por usar poucas câmeras e distribuí-las quase todas fora da área do Ibirapuera. "Experiências no mundo todo mostraram que frequentadores de parques têm de ter a privacidade preservada", explicou Ortega. "Administrações de Madri, Nova York, Londres e Moscou, por exemplo, tiveram muitos problemas de invasão de privacidade."

Segundo o secretário, são câmeras especiais, de altíssimo alcance, com capacidade para visualizar imagens a até 2 mil metros de distância, com zoom que permite identificar até a placa de veículos. O equipamento ainda tem giro de 360 graus e permite a instalação de sistema de áudio.

"Não precisam que um operador fique de olho nas telas. Uma vez ocorrido um fato, elas lançam um alarme para a central, que visualiza o problema e, se preciso, aciona a base automaticamente", observou Ortega.

As imagens serão transmitidas do parque para a central de telecomunicações e de vídeo monitoramento da secretaria, que faz o patrulhamento do Ibirapuera com uma empresa privada. Quando houver necessidade, as Polícias Militar e Civil também poderão operar as câmeras.

Cooper. Haverá placas nos trechos que estarão sendo monitorados pelas câmeras. Ficou de fora do alcance das lentes a pista de cooper, por ter árvores que impossibilitam a colocação dos equipamentos. A administração estuda a extensão do monitoramento para a Praça da Paz e a área da Marquise.

Fiscalização por GPS

Os GCMs vão passar a patrulhar o parque com rádio digital e GPS. Quando houver uma ocorrência, os guardas que estiverem mais próximos do local serão acionados via rádio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.