Camelôs são tirados do entorno do Terminal Jabaquara

Subprefeitura faz operação para saída de vendedores que não tem os Termos de Permissão de Uso

Andressa Zanandrea, do Jornal da Tarde,

11 de setembro de 2007 | 09h34

Oito barracas foram retiradas da região do Terminal Metropolitano Jabaquara, na zona sul da capital paulista, em uma operação da Subprefeitura do Jabaquara, que começou por volta das 22 horas de segunda-feira, 10. Três estavam no tamanho apropriado, mas os donos não tinham Termo de Permissão de Uso (TPU). As outras cinco foram construídas irregularmente, em espaços vazios, fora das dimensões permitidas por lei. Duas delas, inclusive, davam passagem para barracas regulares.   No local, há 36 barracas que funcionam com autorização da Prefeitura. A estimativa, no entanto, é de que 400 comerciantes irregulares atuavam no entorno das estações Jabaquara e Conceição do Metrô - a maioria na última. Em toda a região de abrangência da Subprefeitura do Jabaquara, há 188 barracas regulares.   Segundo o coordenador de Planejamento e Desenvolvimento Urbano da subprefeitura, Rui de Almeida, a operação era planejada há um mês. "Temos recebido muitas reclamações sobre o comércio no Jabaquara e na Conceição. Havia uma grande concentração de barraquinhas que ficavam nas ruas e já foram retiradas."   Nas barracas retiradas havia ligações elétricas e de água clandestinas. Mercadorias, como bijuterias, roupas, temperos, acessórios de celular, doces e artesanato, foram apreendidas e levadas para o depósito da subprefeitura. Para recuperá-las, os ambulantes terão de comprovar a origem e pagar multa de R$ 417,40, equivalente a cinco Unidades Fiscais do Município de São Paulo (UFMs), por comercialização de material irregular.   Ao todo, 150 pessoas participaram da operação, entre funcionários da subprefeitura, policiais militares, guardas civis metropolitanos, agentes da Companhia de Engenharia de Tráfego, entre outros. Os dois comerciantes que tinham portas com ligação a espaços irregulares, como num "puxadinho", vão ter de dar explicações à subprefeitura e podem até perder o TPU.   Na última quinta-feira, 6, foi publicada no Diário Oficial a suspensão por três dias (10, 11 e 12 de setembro) de todos os TPUs da Subprefeitura do Jabaquara. O objetivo, segundo Almeida, é atualizar os cadastros para localizar os comerciantes irregulares que atuam na região.

Tudo o que sabemos sobre:
camelôs

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.