Camelôs são detidos com morteiros no Brás durante protesto na madrugada

Cinco explosivos estavam com um grupo que tentou protestar fora do permitido pela PM

Ricardo Valota e Marcela Gonsalves, estadão.com.br

29 Outubro 2011 | 06h54

 SÃO PAULO - Pela quinta madrugada seguida, a Polícia Militar teve de intervir nas ruas do Brás, região central de São Paulo, em razão de "excessos" por parte de grupos de camelôs que deram início a protestos fora do que vem sendo permitido pelos policiais. Às 10h30 deste sábado, 29, cerca de 600 ambulantes que não têm autorização para montar a tradicional feirinha da madrugada bloqueavam o acesso à Rua São Caetano pela Avenida do Estado, segundo a CET. Mais cedo, eles ocuparam parte da Rua Oriente. Segundo a PM, o protesto é pacífico.

 

Por volta das 3h30, quatro de um grupo de 35 ambulantes abordados pelos policiais na esquina da Rua Oriente com a Rua Barão de Ladário foram flagrados portando cinco morteiros. O quarteto foi encaminhado para o 13º Distrito Policial, da Casa Verde, onde funciona a central de flagrantes da região. Segundo a Polícia Militar, os camelôs, todos regularizados, que trabalham no bolsão criado pela Prefeitura, conseguiram entrar no pátio durante a madrugada.

 

As duas primeiras manhãs, de terça, 25, e quarta-feira, 26, foram as mais violentas. Os ambulantes, ao mesmo tempo em que faziam ameaças aos colegas regularizados, obstruíam as ruas da região, ateavam fogo em lixeiras, soltavam rojões e intimidavam os lojistas, forçando-os a manter as portas fechadas. Por causa da violência, ônibus fretados por sacoleiros vêm chegando à região com metade da capacidade.

 

Texto atualizado às 11h25.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.