Camelôs fazem protesto contra a Prefeitura no Brás

Ambulantes irregulares pedem que novos Termos de Permissão de Uso sejam concedidos

Ricardo Valota, do estadao.com.br,

20 de agosto de 2007 | 06h30

Camelôs realizam desde as 3 horas desta segunda-feira, 20, uma manifestação contra a decisão da prefeitura de não conceder Termos de Permissão de Uso. O clima entre policiais militares, guardas municipais, ambulantes legalizados e irregulares ficou tenso nas principais ruas do Brás, região centro-leste da capital paulista, entre elas a Rua Oriente. Cerca de 1.000 ambulantes, que fazem parte dos mais de 2.600 que não podem trabalhar na região, fazem um protesto batendo latas, acendendo tochas e expondo faixas reivindicando da Prefeitura a criação de mais um bolsão, igual ao já existente e lotado, conhecido como Shopping Popular. Atualmente, 3.300 ambulantes ficam no local regularmente. Os camelôs pedem que a prefeitura volte a distribuir os Termos de Permissão de Uso para que eles possam atuar fora do bolsão existente. Segundo a Secretaria de Segurança Pública a "Operação Oriente" segue o modelo da "Operação Saturação" e caso haja necessidade poderá contar com o reforço policial. Com várias etapas, a Operação Oriente teve início na última sexta-feira, 17, com a fiscalização de depósitos na região do Brás, onde foram apreendidos oito caminhões de mercadorias irregulares, totalizando 9 toneladas. Ainda segundo a Secretaria, o objetivo da operação é permitir que os clientes e compradores da região transitem com segurança para fazer suas compras e que os camelôs regulares, que atuam dentro dos bolsões ou têm o TPU, comercializem seus produtos.

Tudo o que sabemos sobre:
manifestaçãocamelôsBrás

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.