Camboriú terá o maior prédio da América do Sul

Edifício residencial na cidade catarinense contará com 63 andares e 196 metros, mais que o chileno Titanium La Portada, atual campeão

Júlio Castro, O Estado de S.Paulo

13 de fevereiro de 2011 | 00h00

A cidade mais verticalizada de Santa Catarina também está prestes a se transformar no maior polo de arranha-céus do Brasil. Com seus 46 km², Balneário Camboriú, a menor cidade catarinense em extensão e a maior em densidade demográfica (2.350 habitantes por km²), terá o mais alto edifício residencial da América do Sul. Uma combinação de residencial e apart-hotel, que será construído na Barra Sul, próximo do teleférico.

O edifício terá 63 andares e 196 metros, superando o Titanium La Portada, de Santiago do Chile, com 52 andares e 194 metros.

É o que revela o prefeito da cidade, Edson Renato Dias (PMDB). "Conheci o conceito do projeto em uma apresentação em 3D. É algo sem igual na América Latina." O projeto do arranha-céu é mantido em sigilo absoluto pela FG Engenharia, também responsável por um prédio de 140 metros e 45 andares que será entregue em 2015.

O Plano Diretor do município não prevê limite de altura para edifícios à beira da praia. O prefeito afirma que não vê impedimento na execução da obra, desde que erguida dentro dos padrões de ocupação limitados em 40% do terreno. Ele diz que a localização do prédio na Barra Sul não vai projetar sombra na praia. Os 5,7 quilômetros de praia ficam prejudicados a partir das 15horas porque a cortina de edifícios que têm até 35 andares encobre o sol.

Com uma população de 108 mil habitantes, mas que na alta temporada chega a receber cerca de 1 milhão de turistas por mês, Camboriú tem no ramo imobiliário sua segunda maior fonte de renda, superada apenas pelo turismo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.