CÂMARA VETA CAFÉ, CHINELO E SHORTS

Entrada em trajes inadequados será proibida

O Estado de S.Paulo

07 de fevereiro de 2013 | 02h02

O cafezinho de graça e a entrada de pessoas com short ou chinelos estão oficialmente vetados na Câmara Municipal. A medida, segundo apurou a reportagem, visa a evitar a aglomeração de moradores de rua que se formava todos os dias ao redor da copa do primeiro andar, ao lado do plenário. A ordem interna foi transmitida ontem aos 2 mil funcionários da Casa.

A medida tomada pela presidência do Legislativo foi vista como "higienista" por lideranças de moradores sem-teto que passavam todos os dias na Câmara para encher suas garrafas de água e pegar um copo de café ou chá. Muitos acabavam ficando para os coquetéis realizados após sessões solenes feitas à noite no Palácio Anchieta, o que causava reclamações constantes de vereadores à presidência.

A Câmara Municipal, sob o comando do vereador José Américo (PT), argumenta apenas ter adotado medidas para aumentar o controle de circulação de pessoas no edifício. E esta não deve ser a única. Outra mudança defendida pelo coronel Telhada (PSDB), apoiada pela maior parte das lideranças, é a instalação de detectores de metal nas entradas da Casa. Cerca de 4 mil pessoas por dia circulam pelos 13 andares do prédio - só de funcionários, são quase 2 mil. /A.F. e D.Z.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.