Bruno Ribeiro/Estadão
Bruno Ribeiro/Estadão

Câmara Municipal de São Paulo vai investigar suposto tiro em vitrô

Na internet, MBL fala em atentado contra vereador Fernando Holiday; furo está no saguão do quinto andar

Bruno Ribeiro, O Estado de S.Paulo

26 de dezembro de 2018 | 18h44

SÃO PAULO - A presidência da Câmara Municipal de São Paulo pedirá perícia para investigar um vitrô quebrado no quinto andar do Palácio Anchieta, sede do Legislativo municipal, descoberto após a confusão ocorrida no começo da tarde desta quarta-feira, 26, durante votação da reforma da Previdência Municipal. Um boletim de ocorrência está sendo registrado no 1.º Distrito Policial (Sé) para apurar o caso.

O vidro ficou com um furo que se assemelha a um tiro, embora nenhuma bala tenha sido encontrada. A presidência informou ainda que uma bolinha de gude encontrada na marquise do prédio poderia ter causado o dano, mas destacou que essa é apenas uma hipótese.

O furo é no saguão do quinto andar, próximo dos elevadores e da escada. Naquele piso, ficam os gabinetes de sete vereadores e da liderança do PSOL.

Na internet, o grupo Movimento Brasil Livre (MBL) afirmou que o caso se tratava de uma tentativa de assassinato do vereador Fernando Holiday (DEM), que estava no prédio. A reportagem não conseguiu ainda contato com o vereador para ouvir sua versão.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.