Neil Mersh/Getty Images
Neil Mersh/Getty Images

Câmara de SP aprova proibição de foie gras e roupas feitas com peles

Ícone da gastronomia francesa com fígado de pato ou ganso é feito por meio de alimentação forçada de aves, o que é considerado cruel

O Estado de S.Paulo

13 de maio de 2015 | 14h25

SÃO PAULO - A Câmara Municipal de São Paulo aprovou na noite desta terça-feira, 12, em segunda votação, o Projeto de Lei 537/2013, que proíbe a produção e a comercialização de foie gras em restaurantes e a venda de artigos de vestuário feitos com pele animal na capital paulista.

O foie gras, ícone da gastronomia francesa, é elaborado com o fígado gordo de pato ou de ganso por meio do método conhecido como gavage - em que as aves são submetidas a uma alimentação forçada. Apesar de milenar, a prática é considerada cruel.

O projeto de lei havia sido aprovado em primeira votação em 2013. Agora, segue para sanção do prefeito Fernando Haddad (PT). O autor da proposta é o vereador Laércio Benko (PHS). Umbandista, ele apresentou o projeto após participar de polêmica em que defendeu uso de animais em rituais do candomblé.

Tudo o que sabemos sobre:
Foie grasSão Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.