JB Neto/AE - 16/5/2010
JB Neto/AE - 16/5/2010

Câmara de São Paulo aprova cadastro para tatuadores na Prefeitura

Medida, que ainda depende da sanção de Kassab, prevê registro para empresas e autônomos

Gabriel Pinheiro, estadão.com.br

18 de agosto de 2010 | 18h57

SÃO PAULO - A Câmara de São Paulo aprovou nesta quarta-feira, 18, o Projeto de Lei 396/2004, que torna obrigatório o cadastramento de tatuadores na Prefeitura. Pela medida, de autoria do vereador Dalton Silvano (PSDB), profissionais autônomos e empresas terão de manter registro específico, utilizar material descartável na confecção das tatuagens e adotar outras práticas de higiene comuns em hospitais.

 

O vereador afirma que o controle é necessário devido à "enorme dimensão" que a tatuagem atinge, principalmente entre jovens e adolescentes. Por isso, o risco de transmissão de doenças aumenta. "Como existe contaminação com sangue durante o processo de tatuagem, os cuidados devem ser os mesmos de qualquer cirurgia clínica", diz.

 

Pelo projeto, a fiscalização fica a cargo da Secretaria Municipal de Saúde. O material descartado na elaboração da tatuagem - agulhas e luvas cirúrgicas, por exemplo - terá de ser identificados como resíduo séptico e recolhido pelo sistema especial da Prefeitura.

 

Para entrar em vigor, a medida - que passou hoje em segunda votação - depende agora da sanção do prefeito Gilberto Kassab (DEM).

Tudo o que sabemos sobre:
tatuagem

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.