Câmara aprova criação de cem novas vagas de auditores fiscais em São Paulo

Pela proposta, salário da categoria será reajustado em 22%; projeto vai para sanção do prefeito Fernando Haddad

Fabio Leite, O Estado de S. Paulo

19 Fevereiro 2014 | 20h47

SÃO PAULO - Quase quatro meses após o escândalo da máfia do Imposto Sobre Serviços (ISS) em São Paulo, a Câmara Municipal aprovou nesta quarta-feira, 19, em segunda votação, um projeto da gestão Fernando Haddad (PT) que cria cem novas vagas de auditores fiscais na capital e reajuste o salário da categoria em 22%.

O projeto, que agora vai para a sanção do prefeito, foi enviado por Haddad em setembro, um mês antes da prisão dos quatro fiscais acusados de cobrar propina para dar descontos no ISS dos empreendimentos. O esquema teria desviado cerca de R$ 500 milhões dos cofres municipais.

Com mais 100 auditores, hoje são 585, segundo o sindicato da categoria, Haddad pretende dar mais eficiência à fiscalização do pagamento de tributos e aumentar a arrecadação da cidade. Já o reajuste salarial, que passa de R$ 11,5 mil para cerca de R$ 14 mil, visa a reduzir a evasão dos fiscais para as Receitas do Estado e da União, que pagam melhor.

"Precisamos recompor esse quadro até para ajudar a cidade a arrecadar mais e melhor", disse o líder do PT, Alfredinho. "A defasagem em relação ao salário pago em outros estados é de mais de 30%. Em razão dessa defasagem, 84 auditores [do último concurso] pediram demissão para assumir cargos em outros entes públicos", afirmou Eduardo Tuma (PSDB).

Mais conteúdo sobre:
auditor fiscal São Paulo Máfia do ISS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.