Wendell Marques - 05/04/2022
Wendell Marques - 05/04/2022

Camadas de sujeira cobrem praia central de Ubatuba após chuvas; veja como ficou

Prefeitura da cidade do litoral norte paulista diz que fenômeno é raro; retirada de detritos começou nesta terça

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

05 de abril de 2022 | 18h24
Atualizado 05 de abril de 2022 | 18h37

As chuvas intensas que atingiram o litoral norte de São Paulo no último fim de semana carregaram grande quantidade de detritos para o Rio Grande, que deságua na Praia de Iperoig, em Ubatuba. O curso d'água nasce no Parque Estadual da Serra do Mar e toda a matéria orgânica de manguezais, misturada com folhas, gravetos e galhos da floresta, bem como o lixo produzido em comunidades ribeirinhas, foram levados para a praia. Grande parte da faixa de areia ficou coberta pela sujeira.

A Praia do Iperoig, também conhecida como Praia do Cruzeiro, fica na região central de Ubatuba e, segundo a prefeitura, o fenômeno do acúmulo de detritos é raro e decorre de eventos extremos, como a grande quantidade de chuvas. A retirada da sujeira foi iniciada nesta terça-feira, 5, por equipes da Secretaria de Infraestrutura do município. A previsão é de que os serviços sejam concluídos nesta quarta, 6.

No fim de semana, o temporal também provocou bloqueios de estradas na região de divisa entre São Paulo e Rio. No litoral sul fluminense, ao menos 18 pessoas morreram por causa de deslizamentos em Paraty e Angra dos Reis. Nessa região, parte das praias também foi bastante afetada pelas chuvas. A Praia de Itaguaçu, em Angra, foi praticamente soterrada. 

Em Ubatuba, o Rio Grande é usado para abastecimento da cidade. Conforme a gerência local da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), o entulho composto de lama, pedras e galhos, entre outros materiais, chegaram a obstruir a captação, mas foi retirado por equipes de plantão, garantindo assim a continuidade da produção e abastecimento no município de Ubatuba. Em toda a cidade, apenas 88 imóveis da região da Barra Seca estão sendo abastecidos com caminhões-tanques, após danos provocados pela chuva na rede que abastece o bairro.

Ubatuba entrou em estado de emergência por causa dos temporais, que atingiram um acumulado de quase 600 milímetros – o dobro da chuva esperada no mês inteiro – em apenas três dias. Conforme a prefeitura, as equipes trabalham na desobstrução de vias e acessos que ainda mantêm populações isoladas, com a comunidade do Camburi.

O acesso ao bairro ainda é feito apenas com barcos e aeronaves. Trechos da rodovia Rio-Santos continuavam com faixas interditadas pela queda de barreiras. À tarde desta terça-feira, 5, sete famílias ainda estavam fora de casa, abrigadas em uma escola. Nesta terça, a prefeitura manteve a interdição na Estrada do Almada, que está interditada desde sábado, 3, devido ao risco de novos deslizamentos.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.