Caixa calcula danos e mantém segurança em condomínio depredado em SP

Engenheiros do banco inspecionam os 940 apartamentos do conjunto habitacional em Itaquera, zona leste, destruído ontem após reintegração de posse

Fabio Leite, O Estado de S. Paulo

21 Fevereiro 2014 | 13h42

SÃO PAULO - Engenheiros da Caixa Econômica Federal estão vistoriando nesta sexta-feira, 21, os 940 apartamentos do conjunto habitacional em Itaquera, zona leste de São Paulo, que foi depredado ontem após reintegração de posse que terminou em confronto entre moradores que haviam invadido o local há 7 meses e a Tropa de Choque da Polícia Miliar. O condomínio é do Programa Minha Casa Minha Vida do governo federal.

A saída dos cerca de 3 mil moradores só acabou por volta da meia-noite e meia desta sexta. Cerca de 30 vigilantes de uma empresa de segurança privada contratada pela Caixa e seis viaturas da PM estão no condomínio para impedir o retorno das famílias. Ontem, o conflito que envolveu 120 policiais teve bombas de efeito moral, gás lacrimogêneo e balas de borracha. Moradores atiraram paus e pedras. O saldo foi de ao menos 24 feridos e quatro suspeitos detidos.

Enquanto uma parte dos moradores fazia a mudança durante a tarde de ontem, outra parte depredava os apartamentos. Portas, janelas e até louças de banheiro foram quebradas. Ao menos 12 apartamentos foram incendiados com colchões, cortinas e sofás dentro. A caixa d´'água do condomínio foi perfurada.

O local foi invadido em julho de 2013, duas semanas antes do sorteio das unidades para famílias com renda mensal de até R$ 1,6 mil para famílias do Jardim Pantanal cadastradas pela Prefeitura de São Paulo após a enchente de 2010.  

Segundo a Caixa, os apartamentos serão totalmente recuperados antes da entrega das chaves aos beneficiários. "A Caixa garante aos beneficiários de direito, selecionados pelo Programa Minha Casa Minha Vida, que as unidades habitacionais serão entregues em perfeito estado de habitabilidade", informou em nota.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.