HÉLVIO ROMERO/ESTADÃO
HÉLVIO ROMERO/ESTADÃO

Cai diferença de desemprego entre brancos e negros em SP

No entanto, valor pago aos negros pela hora trabalhada em relação à remuneração dos brancos diminuiu entre 2013 e 2014

MÁRIO BRAGA, O Estado de S. Paulo

17 Novembro 2015 | 21h45

A diferença do nível de desemprego entre a população negra e branca caiu de 2013 para 2014 na região metropolitana de São Paulo (RMSP), refletindo uma diminuição na desigualdade racial no mercado de trabalho. Pesquisa divulgada pela Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Seade) revela, por outro lado, que o valor pago aos negros pela hora trabalhada em relação à remuneração dos brancos caiu no período, o que mostra que o trabalho deste grupo segue menos valorizado na capital paulista.

A diferença da taxa de desocupação de negros e pardos ante brancos e amarelos caiu 0,7 ponto porcentual entre 2013 e 2014, segundo a Fundação Seade. No período, a desocupação do primeiro grupo avançou de 9,4% para 10,1%, enquanto a do segundo permaneceu estável em 12%, fazendo com que a diferença caísse de 2,6 para 1,9 ponto porcentual. 

Se for considerada apenas a renda, no entanto, persiste a desigualdade racial no mercado de trabalho paulistano. O valor pago pela hora trabalhada aos negros, em 2014, foi 63,7% do total pago aos brancos. Segundo a instituição, o rendimento médio dos negros foi de R$ 8,79 no ano passado, enquanto o dos brancos ficou em R$ 13,80. Em 2013, a proporção estava em 65,3%. “Apesar dessa piora, tais valores vêm se aproximando lentamente ao longo dos anos, uma vez que os rendimentos dos negros já chegaram a equivaler a 54,6% dos não negros, em 2002”, pondera o texto.

A explicação, diz a instituição, está no fato de negros serem mão de obra mais representativa em empregos em que a remuneração é mais baixa, como construção, e menos representativa nos serviços e na indústria, que pagam melhor. Uma das conclusões do estudo é que a diminuição das desigualdades no mercado de trabalho se dá “apenas com períodos de crescimento econômico em conjunto com ações de políticas afirmativas”. A pesquisa Os negros no mercado de trabalho da região metropolitana de São Paulo foi elaborada em virtude do Dia Nacional da Consciência Negra, com informações da Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.