Cai a aprovação de faixas exclusivas

Pesquisa da ANTP revela que corredores de ônibus foram a única modalidade de transporte cuja nota dada pelo usuário foi menor

Renato Machado, O Estado de S.Paulo

03 Fevereiro 2011 | 00h00

O ônibus municipal de São Paulo foi o meio de transporte que apresentou a maior alta na avaliação dos usuários do sistema público da Região Metropolitana. Por outro lado, o desempenho desses veículos nos corredores exclusivos - tantos os municipais quanto os metropolitanos - foi o único item avaliado em pesquisa da Associação Nacional de Transporte (ANTP) que registrou queda na porcentagem dos passageiros que os avaliam como "bom ou excelente".

 

Veja também:

linkMetrô lidera, mas duas linhas têm problemas
linkValor da tarifa é reprovado pela maioria
linkMotoristas encerram greve de ônibus que afetava a zona leste de SP

Os resultados fazem parte da pesquisa Imagem dos Transportes na Região Metropolitana, apresentada ontem. A aprovação dos usuários caiu de 58% para 53% nos corredores de ônibus municipais. Quedas também foram registradas quando avaliados em separado o Expresso Tiradentes (76% para 74%) e o Corredor Metropolitano São Mateus Jabaquara (72% para 70%).

"Os usuários têm uma expectativa maior em relação aos corredores porque eles foram projetados para proporcionar viagens mais rápidas. Por isso são mais exigentes na avaliação. Quando há interferências que prejudicam o desempenho, que prolongam o tempo de viagem, a avaliação cai", diz o presidente da ANTP, Aílton Brasiliense.

Os números dos corredores contrastam com a avaliação geral dos ônibus, que pelo segundo ano seguido apresentou melhora - após uma sequência de anos de queda na aprovação. Passou de 50% para 59% a proporção de entrevistados que classificam os serviços como bom ou excelente entre 2009 e 2010.

Em algumas regiões, como na zona leste, a melhora na avaliação chegou a 15 pontos porcentuais. Por outro lado, a zona sul ainda mantém índices baixos e apenas quatro em cada dez pessoas aprovam os ônibus.

Entre as pessoas que afirmaram na pesquisa que o transporte público como um todo melhorou no último ano, 31% disseram que diminuiu o tempo de espera, outros 25% informaram que aumentou o número de linhas e 14%, que os veículos são novos ou modernos.

 

Vans. As vans também apresentaram melhora na avaliação, mas ainda pouco mais da metade dos entrevistados aprova o serviço: passou de 51% para 58%. Os passageiros fizeram a ressalva de que esse meio "não é seguro em relação a acidentes" e que "os funcionários são despreparados e sem educação".

Entre as medidas para diminuir o trânsito no futuro, 68% dos entrevistados afirmaram que é preciso construir mais linhas de metrô. Logo na sequência, aparece a criação de novos corredores exclusivos de ônibus, com 56%. Pela primeira vez desde que o levantamento começou a ser feito, ganhou relevância também a quantidade de pessoas entrevistadas que consideram necessário construir ciclovias: 13%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.