Paulo Liebert/AE
Paulo Liebert/AE

Cães sobem à passarela e mostram ‘tendências’

Desfile canino destaca moda inverno; pets 'investem' pesado em tratamento de beleza

Artur Rodrigues, de O Estado de S.Paulo

08 de junho de 2012 | 03h02

As novas tendências da moda canina para o próximo inverno serão apresentadas a partir das 17 horas deste sábado, 9, no São Paulo Fashion Pet. Na passarela, yorkshires, lhasas, shitzus e teckels devem mostrar que, no mundo animal, a moda é se vestir como gente. Para isso, vale apostar nos acessórios, como cachecóis e sapatilhas.

"A moda canina segue muito a tendência humana. Tem agora um monte de roupa com modelo de oncinha, xadrez, o que muda são os tecidos. O cachorro usa muito soft, plush", explica Eugênia Fonseca, de 38 anos, coordenadora do desfile realizado pelo Pet Center Marginal. A principal diferença é que as coleções são apresentadas na própria estação, em vez de adiantar as tendências da temporada seguinte.

O evento é realizado no espaço desde 2005 e vem ganhando adeptos, tanto na passarela quanto fora dela. Vai ter DJ, iluminação especial e fumaça. De amadores somente os modelos: 12 cães de orgulhosos clientes. Enquanto as estrelas do evento seguem sobre a passarela de um metro de altura, os donos as levam pela coleira, o que não impede que vez por outra algum modelo mais genioso mande o glamour às favas e tente fugir.

A expectativa da organização é de que 200 pessoas e um número similar de cães prestigiem o evento, que apresentará a coleção de inverno das marcas Bichinho Chique, Pickorruchos, Griffe Dog e Fábrica Pet.

Beleza. Antes de subirem à passarela, os modelos vão dar um trato no visual. E nada de banho e tosa, o negócio agora é centro de estética. Entre as opções está uma escova tropical, com máscara de cupuaçu. Depois, secagem com ajuda de lâmpada infravermelha. Um tratamento completo sai por volta de R$ 80.

"A preocupação com produtos sustentáveis também está chegando ao mercado pet, com muita coisa vinda da Amazônia", diz o gerente de estética do pet center, William Galharde, de 27 anos. Coco, maracujá, pitanga, buriti, açaí com guaraná estão entre as matérias-primas mais pedidas para tratamento de beleza.

Nos salões caninos, outra novidade é que máquinas de tosa estão dando lugar às tesouras, para um tratamento mais personalizado. "Clientes pedem para fazer tudo na tesoura. Uma das tendências são as carinhas japonesas, que deixam pelos da lateral do 'rosto' bem curtinhas e orelhas mais compridas", diz Galharde, premiado neste ano em um concurso de tosa em New Jersey, nos Estados Unidos.

A yorkshire Rebeca, de 8 anos, terá tratamento ainda mais caprichado nesta semana, quando estreia na passarela. Mas quem está nervosa é sua dona, a aposentada Elza Cruz Sares, de 78 anos. "Ela vai usar três roupinhas. Não sei se vai se sair bem, se vai dar vexame. Ai, meu Deus."

Tudo o que sabemos sobre:
petsfashion pets

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.