Amanda Perobelli/Estadão
Amanda Perobelli/Estadão

Cães levam consolo a cemitério

Projeto em que animal leva mensagem de conforto ocorre há um ano no Cemitério Memorial Metrópole Ecumênica de Santos

Paula Felix, O Estado de S.Paulo

02 Novembro 2016 | 03h00

SÃO PAULO - Receber uma mensagem de conforto trazida por um cão da raça schnauzer. É com essa demonstração de carinho, há mais de um ano, que os visitantes do Cemitério Memorial Metrópole Ecumênica de Santos, no litoral paulista, convivem. E não será diferente hoje, Dia de Finados.

O projeto é da jornalista Victória Girardelli, de 55 anos, que começou a trabalhar com terapia utilizando animais há 11 anos, após ter feito um tratamento de saúde em São Paulo. Ela adquiriu Freud e participou de um curso para desenvolver a iniciativa. “Tive um insight e já saiu o nome: Dr. Auau. Fiz visitas em hospitais, casas de repouso e para crianças especiais.”

O cachorro percorria corredores usando um jaleco e, para o cemitério, recebeu até roupa personalizada. “É de um céu com nuvens e tem bolsos com cartões com as mensagens.” 

Freud, que morreu em setembro, teve dois filhotes: Teddy, de 11 anos, e Jung, de 10, que dão continuidade ao projeto. “Fazemos as visitas no cemitério três vezes por semana. Passamos na frente das salas de velório e, se formos aceitos, entramos.” Victória diz que a recepção é positiva. “A gente consegue arrancar sorrisos. As pessoas dão e recebem carinho.”

Programação. Para a capital, além das missas, estão previstas atividades culturais e de saúde. O cemitério da Vila Formosa, na zona leste, terá apresentação do Coral da GCM das 9 às 11 horas. Das 7 às 13 horas, integrantes da Sociedade Missão Resgate vão verificar a pressão arterial e a glicemia no Araçá e no da Consolação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.