Cães e gatos têm até réveillon vip em hotel

Serviço para pets registra alta procura na virada do ano e vagas agora só em janeiro

DENIZE GUEDES, O Estado de S.Paulo

26 de dezembro de 2012 | 02h00

Se está difícil encontrar vaga em hotéis pelo País, acomodar um pet também não é tarefa fácil nesta época do ano. Em São Paulo, só há vagas disponíveis em hotéis para cães e gatos em janeiro. No entanto, se você dispõe de algo em torno de R$ 1,5 mil, ainda tem chances para o ano-novo.

No Clube Salatino, em Embu das Artes, na Grande São Paulo, que não aceita gatos, o pacote básico sai por R$ 1,3 mil para cinco dias, com cama, alimentação e recreação. Na opção mais luxuosa, por R$ 2 mil, o quarto tem quadros, música ambiente e funcionário para dormir com o cão.

O local tem até heliponto para receber os hóspedes mais exclusivos. "Temos ainda massagem, acupuntura, ofurô, academia e natação. Cada extra sai entre R$ 100 e R$ 150", diz o dono do clube, Rochester Salatino. "Há estudos comprovando que música clássica relaxa o animal. É o que eles vão ouvir na virada do ano."

No Rio, a mordomia do Hotel Fasano, em Ipanema, inclui o programa VIPet (Very Important Pet), com cama box, enxoval bordado, ração especial e petiscos. Os preços vão de R$ 1,4 mil a R$ 7,3 mil, para suítes com 130 m² e vista para o mar. O hotel, porém, só aceita animais de pequeno porte.

Nas férias. No Dog Resort, no Planalto Paulista, zona sul de São Paulo, só haverá vagas em janeiro. Desde a semana do Natal, já está lotado com a presença de 50 hóspedes, entre eles Bento, de 4 anos, cão da raça Bernese. Em diversos hotéis pets da cidade, as diárias para janeiro podem variar de R$ 50 a R$ 90, dependendo do hotel e do peso do animal.

Bento frequenta o lugar - que funciona como creche e tem 750 m² de pátio, além de piscina, lago e sala de cromoterapia - desde os 4 meses. Seu Natal e último réveillon também foram lá. "Sinto mais falta dele do que ele de mim", diz a engenheira mecânica Fabiana Barruffini, de 36 anos, dona de Bento. Para matar a saudade, ela acompanha as atividades dele pela webcam oferecida pelo resort.

Assim como em outros hotéis que funcionam como creche, o Espaço Pra Cachorro, em Osasco, na Grande São Paulo, dá preferência a hospedar cães. Mas, apesar do nome, já recebe gatos. Os donos passam por entrevista prévia. "No caso dos cães, eles têm de estar habituados a conviver com outros cães e humanos", diz Tatiana Tiemi, que dirige o lugar. "Para gatos, vemos se eles são sociáveis com humanos e outros gatos."

Tiramissu, gato de 2 anos, vai virar o ano no Espaço Pra Cachorro, que já frequenta como creche. "Ele fica muito satisfeito, até fez uma amiguinha em outra estada. Isso fez a gente adotar a Margot, que vai ficar lá pela primeira vez", diz o engenheiro Richard Tencer, de 33 anos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.