Cadastro de site aponta erro

NOTA FISCAL PAULISTA

O Estado de S.Paulo

26 Outubro 2012 | 03h03

Tento desde o dia 16/10 cadastrar notas e cupons fiscais para fazer uma doação no site da Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo, pela Nota Fiscal Paulista. O problema é que o sistema acusa a seguinte mensagem: "Object reference not set to an instance of an object". Encaminhei um questionamento para o Fale Conosco da Fazenda, mas não tive retorno, infelizmente. Será que vou conseguir fazer a doação dos créditos?

SÉRGIO HIDEKI KANOMATA / SÃO PAULO

A Secretaria da Fazenda esclarece que o serviço "Fale Conosco" fez contato com o leitor Sérgio Hideki Kanomata, em 17/10/12, orientando-o a tentar de novo o registro da doação dos documentos fiscais por ele mencionados na mensagem. O sistema da Nota Fiscal Paulista funcionou normalmente nesse período. Cabe esclarecer que as normas do programa permitem ao consumidor doar somente as notas ou cupons fiscais, sem CPF ou CNPJ, a entidades de assistência social e de saúde de sua preferência. O consumidor pode depositar o documento fiscal nas urnas distribuídas nos estabelecimentos comerciais, entregar a nota diretamente à instituição ou acessar o site do programa, com o uso de sua senha pessoal, e cadastrá-la em favor da entidade de sua escolha até o dia 20 do mês subsequente ao da compra.

O leitor revela: Tentei novamente cadastrar notas e cupons e o sistema continua com o mesmo aviso. Sobre a parte final, quero comentar o seguinte: posso sim, entregar o cupom ou a nota na instituição, mas será que a secretaria arcará com as despesas de viagem para a instituição que quero doar, localizada no interior de São Paulo, na cidade de Araçatuba?

MULTA EM QUESTÃO

Infração em rua estreita

Sou morador da Vila Nova Conceição e, há 25 anos, faço o mesmo trajeto matinal de carro: desço a Rua Baltazar da Veiga, cruzo a Avenida Santo Amaro e entro na Rua Santa Justina. Acontece que, nos últimos meses, uma obra da Sabesp interditou uma pista e meia da Santa Justina, que já é estreita. Sendo assim, só é possível passar um carro por vez e é inviável qualquer mudança de direção, já que não há espaço. Diante disso, é claro o equívoco na aplicação de um Auto de Infração que recebi. Recorri, mas ninguém tem conhecimento do recurso enviado, mesmo eu tendo os protocolos de entrega.

CLAUDIO BOCK / SÃO PAULO

A Secretaria Municipal de Transportes e o Departamento de Operação do Sistema Viário (DSV) informam que o recurso foi julgado em 1ª instância pela Junta Administrativa de Recursos de Infrações (Jari) e a penalidade foi mantida. A infração se refere ao artigo 196 do Código de Trânsito Brasileiro - "deixar de indicar com antecedência, mediante gesto regulamentar de braço ou luz indicadora, mudança de direção do veículo" - cometida no cruzamento da Santo Amaro com a Santa Justina.

O leitor reclama: A resposta demonstra a volúpia arrecadadora da máquina estatal, já que não leram minha carta nem ao menos devem ter visto os desenhos que sustentam minha defesa. Empregam como resposta o "copiar e colar" de outras situações, repetindo, aleatoriamente, o mesmo blá-blá-blá. Sabem que a contratação de um advogado fará com que o molho fique mais caro que o frango.

TELEFÔNICA/VIVO

50 dias sem telefone

Fomos procurados em 2011 pela empresa 5.ª Dimensão, representante da Telefônica/Vivo, com a proposta de trocar o PABX do escritório por um equipamento digital. Contratamos o serviço, mas, desde o início, tivemos problemas com cobranças em duplicata. Mudamos de escritório e constatamos que o prédio novo já dispõe de uma central telefônica e não é mais necessário o equipamento da 5.ª Dimensão. O problema é que a empresa quis cobrar uma multa correspondente a 50% do período do contrato inicial, o que nos parece abusivo. Diante disso, a Telefônica/Vivo não ativa nossa linha de telefone e ainda quer cobrar multa pelo fim do contrato anterior.

MARIO ERNESTO HUMBERG

/ SÃO PAULO

A Telefônica/Vivo informa que tomou as providências para cancelar as faturas do leitor, que teve sua situação cadastral regularizada. Afirma que também está adotando as medidas necessárias para a troca de linhas solicitada.

O leitor reclama: Recebemos a cobrança pelo sistema e pelas linhas que não temos no novo escritório (já são mais de 50 dias sem telefone fixo) com ordem para protesto. Tivemos de solicitar duas linhas provisórias para não ficar sem telefone, mas sem o número pelo qual somos conhecidos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.