Divulgação
Divulgação

Caçadores são presos com 12 tatus no interior de São Paulo

Animais congelados estavam no porta-malas de um carro; dupla portava ainda carne de capivara e duas espingardas

José Maria Tomazela, O Estado de S. Paulo

12 Junho 2015 | 18h48

SOROCABA - Dois irmãos caçadores, de 29 e 31 anos, foram presos por matar e vender para consumo como carne de caça doze tatus, nesta sexta-feira, 12, em Pederneiras, na região de Bauru, interior de São Paulo. Com eles foram apreendidas ainda carne de capivara congelada e duas espingardas. A Polícia Militar chegou aos caçadores depois de parar um veículo suspeito com placas de São Bernardo do Campo (SP), na rodovia Marechal Rondon. 

Os animais congelados estavam no porta-malas do carro e os ocupantes indicaram os caçadores. Levados à delegacia da Polícia Civil, eles foram autuados por crime ambiental e porte ilegal de armas. Como não pagaram a fiança, ficaram presos.

A ação de caçadores ainda é comum no interior. No último dia 6, um homem foi preso após abater para consumo um quati e uma paca, em Sete Barras, no Vale do Ribeira. Um dia antes, dois caçadores haviam sido flagrados com 18 pássaros silvestres em São Miguel Arcanjo, entre eles uma araponga, típica da Mata Atlântica e ameaçada de extinção.

Mais conteúdo sobre:
Pederneiras

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.