Reprodução/Google Street View
Reprodução/Google Street View

Cabo da PM mata companheira a tiros na zona norte de São Paulo

Homem cometeu suicídio após matar a vítima, que era soldado da Polícia Militar; caso é um dos dois feminicídios registrados no Estado de SP em menos de 24 horas

Priscila Mengue, O Estado de S.Paulo

08 Julho 2018 | 17h23

SÃO PAULO - A soldado Lourdes Patrícia de Campos Lopes, de 33 anos, foi morta a tiros pelo companheiro Renan da Silva Azevedo, de 31 anos, que é cabo da Polícia Militar. O crime ocorreu por volta das 23 horas de sábado, 7, na zona norte da cidade de São Paulo. Após disparar contra a mulher, o cabo cometeu suicídio. Em menos de 24 horas, foi registrado ao menos mais um caso de feminicídio no Estado de São Paulo.

O crime ocorreu na Avenida Maria Amália Lopes de Azevedo, na Vila Albertina, de acordo com a Secretaria da Segurança Pública do Estado de São Paulo (SSP). Para investigar o caso, foi aberto um Inquérito Policial Militar (IPM) no 43º Batalhão de Polícia Militar Metropolitano (43º BPM/M), também na zona norte. 

+ Estudante de Medicina é morta por asfixia pelo namorado em Campinas

Interior. Além da soldado, ao menos mais um feminicídio foi registrado nas últimas 24 horas no Estado de São Paulo. Por volta das 7 horas deste domingo, 8, foi encontrado o corpo da estudante de Medicina Marília Camargo de Carvalho, de 25 anos, que teria sido morta por asfixia pelo namorado Rafael Moraes Garcia, de 27 anos, em Campinas, no interior de São Paulo. O rapaz cometeu suicídio após o crime ao se atirar do 16º andar. 

Mais conteúdo sobre:
feminicídio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.