Busca por padre desaparecido termina no sábado, diz Marinha

Navio, rebocador, helicóptero e lanchas realizam buscas por Aderli de Carli; religioso desapareceu no domingo

Solange Spigliatti, do estadao.com.br,

25 de abril de 2008 | 14h10

As buscas pelo padre Adelir de Carli, que desapareceu no domingo, 20, quando partiu de Paranaguá (PR) voando pendurado a mil balões de gás hélio, continuarão até o sábado, 26, à noite, segundo informações da assessoria de imprensa do comando do 5º Distrito Naval da Marinha, com sede em Rio Grande (RS). A Aeronáutica não participa mais das operações porque a procura agora está mais concentrada nas regiões próximas ao litoral.    Veja também:    Padre brasileiro vira 'flying priest' para a mídia internacional  Buscas por padre desaparecido em SC são intensificadas   Cerca de 90 pessoas estão participando das buscas, que contam com o navio Hidro-Oceanográfico Taurus, o rebocador de Alto-Mar Tritão e um helicóptero do Esquadrão HU-5, além de lanchas das capitanias dos portos de Santa Catarina.    O padre foi arrastado por uma corrente de ar até o Litoral Catarinense, perdendo o controle do experimento, não conseguindo pousar em terra. Parte dos balões foi encontrada no mar a uma distância de 24 milhas (44 Km) da costa do Litoral Catarinense, nas proximidades de Florianópolis, por uma aeronave da Força Aérea Brasileira (FAB).   O Padre Adelir de Carli ficou conhecido na região desde janeiro deste ano após voar sentado numa cadeira de paraglider, usando balões de festa. Ele percorreu 11 quilômetros entre Ampére, no Paraná, e San Antonio, na Argentina, e chegou à altitude de 5.337 metros, batendo o recorde de um norte-americano.

Tudo o que sabemos sobre:
Aderli de Carlipadrevôo com balões

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.