Buraco criado por obras do Metrô interdita Rua dos Pinheiros

Cratera de dois metros de profundidade se formou após o uso de um "tatuzão" na obra do Metrô

Eduardo Simões, da Reuters,

08 de agosto de 2007 | 20h00

Um buraco de aproximadamente 1,5 metro de diâmetro se abriu na Rua dos Pinheiros, na zona oeste de São Paulo, nesta quarta-feira, 8. Acredita-se que a "cratera" foi formada após a passagem do equipamento que realiza as escavações dos túneis da Linha 4 do metrô, informou a assessoria de imprensa da Companhia do Metropolitano de São Paulo.   A abertura do buraco, na região das obras causou a interdição da Rua dos Pinheiros entre as ruas Mourato Coelho e Mateus Grou. De acordo com os engenheiros do Consórcio Via Amarela, responsável pelas obras da Linha 4, "não há a menor possibilidade" de risco para a população.   "À medida que o tatuzão (equipamento que escava os túneis) ia passando por baixo, houve um problema em cima", disse um assessor do consórcio à Reuters.   O incidente ocorre sete meses depois que uma grande cratera se abriu nas obras da estação Pinheiros, da mesma Linha 4, engolindo carros e provocando a morte de sete pessoas.   Os engenheiros do consórcio farão uma avaliação para saber quando a rua poderá ser liberada. As causas que levaram à abertura do buraco serão investigadas, segundo a assessoria.   Na noite de terça-feira a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) já havia interditado, a pedido do Consórcio Via Amarela, o mesmo trecho onde o asfalto cedeu nesta quarta. Na ocasião, tanto Metrô quanto Consórcio informaram que se tratava de uma operação preventiva de segurança para permitir a operação do tatuzão.

Tudo o que sabemos sobre:
MetrôPinheiros

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.