Bufês de SP entre o alternativo e o hi-tech

Até Estádio do Morumbi está investindo em festa infantil, com direito a bola gigante

Filipe Vilicic, O Estado de S.Paulo

13 de junho de 2010 | 00h00

Cada vez maiores e mais parecidos com parques de diversão, os bufês infantis de São Paulo estão investindo em brinquedos antes inimagináveis para crianças de uma ou duas gerações atrás. Além da manjada dupla fliperama e piscina de bolinhas, agora há casas até com montanha-russa. Na contramão, há também empresas que tentam se diferenciar nesse concorridíssimo mercado: eliminam eletrônicos e propõem brincadeiras de roda. É a briga cada vez mais ferrenha pelos aniversariantes. De um lado, estão os bufês tecnológicos; do outro, os alternativos.

Segundo o empresário Adriano Chiófalo, proprietário dos três bufês da rede Ação Y Emoção e diretor de Comunicação da Associação das Empresas de Buffet Infantil (Assebi), essas são as duas fórmulas encontradas pelos investidores do ramo para prosperar. "Há cada vez mais brinquedos na maioria dos espaços", constata. "Mas existem também os que focam num mercado mais alternativo, para agradar pais que não gostam desses parques."

Para Chiófalo, no ramo há 15 anos, nenhuma das duas fórmulas é eficiente. "Para encher a casa de novidades é preciso aumentar o terreno ocupado. Só que isso é muito difícil em São Paulo, uma cidade com pouca área disponível." Além disso, ele diz que ao tentar se diferenciar com vários equipamentos, os bufês acabam parecidos e nenhum se destaca - o que leva alguns locais a investir pesado em novidades. "Temos de nos renovar constantemente para sempre ter algo diferente e, por isso, viramos um pequeno parque", afirma Rosangela Veiga, dona do bufê Planet Mundi.

Em relação aos alternativos, o diretor da Assebi diz que não é possível ser radical demais, propondo algo tão estranho que possa afastar a clientela. "As mudanças têm de ser graduais", afirma. "Por isso, em meus espaços eu prefiro misturar os dois conceitos. Tenho brinquedos, mas também ofereço um mercadinho onde ensinamos consumo sustentável, comidas saudáveis e brincadeiras."

Estádio. Regina Cinelli, dona dos bufês Fantastic World, segue a linha "um pouco de tudo" - com uma leve queda para a modalidade "parque de diversões".

Sua nova empreitada, uma unidade no Estádio do Morumbi, na zona sul, que será lançada neste mês, já virou a sensação do mercado. A maior parte dos 1.500 metros quadrados da unidade é reservada a brinquedos enormes. "Mas também farei jogos como caça ao tesouro e dança da cadeira", conta a empresária.

No Fantastic do Morumbi haverá um autorama profissional e uma roda que gira as crianças presas pelo pé, além de outras 15 atrações. Haverá até uma bola gigante que percorre um trecho da lateral do campo - girando e com crianças dentro. A casa, claro, investe no tema futebol, com uma pequena quadra, chão que imita gramado e, em dias de jogo ou de show, será transformada em camarote.

Volta às origens. Quem aposta na contramão da tecnologia também não tem do que se queixar. Mariana Ramos, sócia do bufê Casa Tupiniquim, entrou nessa onda. "Quando entramos nesse setor, há 10 anos, pensamos nessa linha um tanto contra Disney, Mickey e afins", recorda. "Optamos por incentivar o folclore nacional, com decoração de curupira e algumas brincadeiras esquecidas, como corre-cotia."

Com isso, ela afirma que conquistou uma área diferente do mercado. "Atraímos pais que gostam desse clima lúdico, tupiniquim, que proporciona a interação entre as crianças, em vez de ficarem presas a um videogame." O bufê tem ainda um espaço onde os pequenos podem fazer rapel.

Crescimento. E o setor parece à prova de crise. "Entre 2008 e 2009, crescemos 14%, mesmo com a crise econômica", destaca Chiófalo, da Assebi. "Os bufês se tornaram um supérfluo necessário, já que os pais veem em nós uma opção prática, econômica e com uma estrutura capaz de fazer uma festança." Hoje, há 700 bufês infantis espalhados pela Grande São Paulo. O difícil é escolher só um - ou só um tipo.

Serviço

PLANET MUNDI. AV, CHIBARÁS, 285, MOEMA. TEL,: 5053-6700. A PARTIR DE R$ 8.000. AÇÃO Y EMOÇÃO. AV. IMPERATRIZ LEOPOLDINA, 1.221, TEL.: 3834-0503. DE R$ 3.000 A R$ 5.000. FANTASTIC WORLD. AV. JORGE JOÃO SAAD, 160, MORUMBI. TEL.: 3743-1720. DE R$ 4.500 A R$ 7.000. CASA TUPINIQUIM. R. FIDALGA, 360, VILA MADALENA. TEL.: 3817-4488. DE R$ 2.700 A R$ 5.000.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.