Nilton Fukuda/Estadão
Nilton Fukuda/Estadão

Bruno Covas troca oito nomes no primeiro escalão da Prefeitura

Maioria dos nomes vem da própria administração municipal; Sérgio Avelleda será o novo chefe de gabinete

Bruno Ribeiro, O Estado de S.Paulo

09 Abril 2018 | 17h00

SAO PAULO - Em seu primeiro dia útil de trabalho, o prefeito Bruno Covas (PSDB) anunciou trocas em cargos-chave do primeiro escalão da Prefeitura de São Paulo. As Secretarias das Prefeituras Regionais, de Transportes e de Obras (que agora voltará a se chamar de Infraestrutura e Obras) terão novos titulares. A maioria dos novos nomes vem da própria Prefeitura.

+++ Um Covas de volta ao comando em SP

O novo secretário de Transportes e Mobilidade é João Octaviano, que até sexta-feira ocupava a presidência da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET). Indicado pelo presidente da Câmara Municipal, Milton Leite (DEM), ele ocupará espaço deixado por Sérgio Avelleda, que agora será chefe de gabinete do prefeito. Octaviano se comprometeu a continuar a licitação para o serviço de ônibus da cidade, atrasada desde 2013, que está marcada para ser lançada no próximo dia 16. Leite nega a indicação.

+++ Covas segue Doria e tem 1ª agenda pública com zeladoria

Avelleda, réu em uma ação judicial por improbidade administrativa no caso que ficou conhecido como Cartel do Metrô, foi para a chefia de gabinete de Covas com a saída de Wilson Pedroso, que acompanhou o ex-prefeito João Doria. Na presidência da CET, Covas indicou o engenheiro Milton Persoli, servidor de carreira da empresa que vinha ocupando cargo de secretário-adjunto das Prefeituras Regionais.

+++ 'Mais vale eliminar uma fila do que construir um viaduto', diz Bruno Covas

Na Secretaria das Prefeituras Regonais, foi anunciada a entrada de Marcos Penido, que antes era o secretário de Obras. Ele trocou de posição na administração com a saída de Claudio Carvalho, ex-executivo da incorporadora Cyrela e amigo de Doria, que vinha ocupando o cargo a convite do ex-prefeito e anunciou que o auxiliaria na campanha ao governo do Estado.

Penido e Covas afirmaram que novas mudanças podem ocorrer nas 32 Prefeituras Regionais, mas Covas lembrou que que ele mesmo havia indicado os nomes dos atuais ocupantes dos cargos.

A mudança de Penido deixaria a Secretaria de Obras vaga. O espaço será preenchido pelo antigo presidente da estatal SP Obras, empreiteira da Prefeitura, Vitor Aly. Na estatal, Covas indicou um amigo, o executivo Maurício Brun Bucker, da empresa de engenharia Construdata, que já havia ocupado cargos por indicação na SP Obras.

Câmara

Na secretaria da Casa Civil, cargo que havia sido criado para Bruno Covas pelo ex-prefeito Doria, após sua saída da Secretaria das Prefeituras Regionais, Covas convidou o vereador Eduardo Tuma (PSDB), vice-presidente da Câmara. Será o vereador quem fará a articulação entre o Executivo e o  Legislativo. Tuma é tido como aliado do presidente da Câmara, Milton Leite (DEM), e chegou a fazer críticas pontuais à gestão Doria em ocasiões como a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investigou a dívida ativa da cidade.

Por fim, haverá ainda nas próximas semanas uma troca na Secretaria da Justiça. Advogado eleitoral de Doria, Anderson Pomini, atual titular do cargo, deixará o governo para auxiliar o ex-prefeito em sua campanha. Em seu lugar, deve assumir o advogado Rubens Rizek Júnior, ex-corregedor geral da administração no governo do Estado e amigo de Covas, com quem trabalhou quando o prefeito ocupou cargo de secretário do Meio Ambiente do governo do Estado. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.