Werther Santana/Estadão
Werther Santana/Estadão

Bruno Covas envia política sobre drogas à Câmara

Executivo enviou nesta quinta-feira, 24, um projeto de lei à Câmara Municipal oficializando a criação do programa Redenção e de uma política municipal sobre álcool e outras drogas

Juliana Diógenes, O Estado de S.Paulo

25 Maio 2018 | 03h00

SÃO PAULO - Um ano após a ação da Prefeitura de São Paulo na região da Cracolândia, no centro, o Executivo enviou nesta quinta-feira, 24, um projeto de lei à Câmara Municipal oficializando a criação do programa Redenção e de uma política municipal sobre álcool e outras drogas. A proposta será discutida em audiências públicas e nas comissões do Legislativo.

+ Ação reduz Cracolândia, que resiste fragmentada

Entre as iniciativas apresentadas pelo prefeito Bruno Covas (PSDB), a mais avançada é a de abrigamento: o Município quer criar 200 vagas em residências terapêuticas. A Prefeitura anunciou ainda que a primeira ação dessa política será elaborar uma radiografia do uso de drogas na cidade, a ser divulgada anualmente nos meses de março, mas não deu detalhes. 

"Não temos um estudo seriado. Nossa missão é ter a radiografia sobre consumo de drogas. É óbvio que em três anos não vamos ter diminuição de uso. Esta é uma ação a médio e longo prazo”, disse Arthur Guerra, coordenador do Redenção. Na prevenção ao consumo, um projeto-piloto está em andamento nas escolas municipais do centro, capacitando professores para a conscientização de alunos. A meta da Secretaria Municipal da Educação é atingir de 100 a 120 escolas. 

Como o Estado mostrou neste mês, levantamento inédito da Polícia Civil aponta que há pelo menos 275 pontos de venda de droga no varejo na capital.

Mais conteúdo sobre:
Cracolândia Prefeitura de São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.