Brincadeira antiga substitui eletrônicos

Não foi apenas o cardápio natural do Espaço Vila da Arte, na Barra Funda, que chamou a atenção da coordenadora de marketing Alessandra Fontes, de 38 anos, na hora de escolher um bufê para comemorar os 5 anos do filho Pedro. "Queria um lugar sem brinquedos eletrônicos. É um conceito de festa mais tranquila, em que os convidados conseguem conversar, sem todo aquele barulho", diz. Brincadeiras de antigamente são uma aposta dos bufês saudáveis. Segundo Julia de Carvalho Ferreira, sócia do Vila da Arte, os pais se dizem cansados de pagar caro por uma festa para os filhos ficarem no videogame o tempo inteiro. No bufê Miniland, no Tatuapé, a ideia é reproduzir ambientes do mundo real. "As crianças podem brincar de faz de conta, imaginar que são médicas, bombeiras, que fazem compras no mercado. Não tenho nada eletrônico", diz a dona, Simone Nakamura.

O Estado de S.Paulo

17 de junho de 2012 | 03h07

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.