Brigar é humano!

Negócio do Kassab

TUTTY HUMOR, O Estado de S.Paulo

29 Novembro 2012 | 23h51

O povo pensa logo no que está por trás de tudo, mas se a venda da Rua Oswaldo Imperatrice der certo a experiência de Gilberto Kassab no Itaim-Bibi terá sido o primeiro passo para a licitação de outras áreas urbanas não adequadas a projetos paisagísticos: o Minhocão, por exemplo! Vai ser um pouco mais difícil encontrar comprador para a estátua do Borba Gato, mas também não custa nada tentar, né?

Conjunto da obra

Dilma Rousseff passou a semana com aquela cara de quem comeu e não gostou que tanto deu o que falar na posse de Joaquim Barbosa na presidência do STF. Isso quer dizer o seguinte: a presidente não está especialmente aborrecida com o julgamento do mensalão!

Dependência química

Valdemar Costa Neto tem como explicar sua parte nas 1.179 ligações telefônicas que a turma do PR - ô, raça! - manteve com o restaurante japonês de Paulo Vieira, apontado como chefe de uma quadrilha desbaratada pela PF: o deputado é viciado em sushi.

Poliglota

Como diz o Roberto Jefferson, "never complain, never explain, never apologize and never José Dirceu"!

Aguarde!

Entreouvido em papo de amigos de Luis Fernando Verissimo: "O bom dele não ter morrido são os artigos hilários que haverá de compor sobre o tema!" A gente não perde por esperar!

Houve, sim, um breve ensaio de troca de cotoveladas em série na última sessão do julgamento do mensalão, mas bate-boca pra valer não rola no tribunal desde a posse de Joaquim Barbosa na presidência do STF.

A trégua não alterou em nada a dosimetria das penas, mas a verdade é que o julgamento quase perde a graça no fim por absoluta falta de combatividade entre os ministros.

Brasileiro adora um arranca-rabo nos telejornais e não há como negar que certos desentendimentos animam e dão calor humano ao noticiário.

Agora mesmo, vivemos o anticlímax da troca de gentilezas no lugar de chutes no traseiro entre o ministro do Esporte, Aldo Rebelo, e o secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke. Lamentavelmente, eles estão "de bem" desde quarta-feira!

Nem sempre a calma aparente no noticiário é bom sinal. Periga a Argentina de Cristina Kirchner fazer as pazes com a Inglaterra de David Cameron depois que o primeiro-ministro britânico assumiu dia desses em discurso a defesa do controle externo da imprensa.

A boa notícia é que, com a volta de Felipão, todo jornalista brasileiro vai ter com quem brigar até 2014! O Mano não reagia à altura!

Mais ou menos

Felipão foi injusto ao dizer que "quem não quer pressão que vá trabalhar no Banco do Brasil". O ex-diretor de marketing da instituição, Henrique Pizzolato, foi atrás dessa história de que era a maior moleza e pegou 12 anos e 7 meses de prisão no julgamento do mensalão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.