Brasileiro some no Peru

O cônsul honorário do Brasil em Cuzco (Peru), Elson Espinosa Estrada, e o adido policial da embaixada brasileira em Lima, José Calazani, acompanham as buscas pelo estudante brasileiro Arthur Pascoali, de 19 anos, que estudava Artes Cênicas na Universidade de Brasília e desapareceu nos arredores de Machu Picchu no dia 21 de dezembro.

BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

04 Janeiro 2013 | 02h03

A embaixada foi informada do desaparecimento na quarta-feira pela família do estudante, que está na região. A própria embaixada informou às autoridades policiais peruanas sobre o sumiço do jovem, que saiu para fotografar e não voltou mais para o restaurante onde trabalhava em Águas Calientes, cidade próxima a Machu Picchu.

Um guia especialista na região, indicado pelo cônsul honorário, também acompanha as buscas. Até agora, no entanto, o Itamaraty não teve novas informações sobre a investigação.

Roteiro. O Caminho Inca é uma alternativa ao trem que conduz a Machu Picchu. Muitos estrangeiros preferem a caminhada com guias, que pode durar de três a quatro dias. / COM EFE e AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.