Braço direito de Aref é exonerada da Prefeitura de SP

Investigada sob suspeita de ter facilitado a emissão de licenças para novos empreendimentos dentro da Secretaria Municipal de Habitação, Lúcia de Souza Machado, de 70 anos, teve seu pedido de exoneração aceito pela Prefeitura. A arquiteta era a principal assessora do ex-diretor Hussain Aref Saab, que adquiriu pelo menos 125 apartamentos enquanto esteve à frente da aprovação dos principais empreendimentos da cidade.

O Estado de S.Paulo

30 de maio de 2012 | 03h04

A arquiteta passou a ser investigada na Corregedoria-Geral do Município em abril deste ano. O órgão descobriu que ela não declarou ao governo municipal que guardava no cofre de sua casa R$ 1,7 milhão, entre joias, reais e dólares. O valor foi declarado à polícia em abril de 2010, quando a casa dela foi furtada. Mas, no mesmo ano, ela não fez a declaração desses bens como funcionária pública, cuja obrigação, por lei, é fazer uma atualização anual em sua lista de patrimônio.

Lúcia, procurada por telefone em sua residência, ontem à noite, não foi localizada. A defesa de Aref, por sua vez, argumenta que seu patrimônio foi construído com recursos obtidos com um estacionamento da família e com o aluguel de imóveis herdados. /D.Z. e R.B.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.