BR assume compra de prédio da Manchete no Rio

Imóvel projetado por Oscar Niemeyer deverá ser modernizado para receber salas de[br]escritórios e eventos

Talita Figueiredo, O Estado de S.Paulo

01 de julho de 2010 | 00h00

Leiloado em maio com lance inicial de R$ 65 milhões, o prédio da Manchete, na Glória, zona sul do Rio, foi comprado pela BR Properties por R$ 260 milhões, conforme anúncio feito pela própria empresa ontem à tarde. A companhia informou que pretende realizar a modernização completa do edifício, que vai respeitar a concepção original do imóvel, e construir no local um edifício com salas de escritórios, reuniões, eventos corporativos e ainda garagem com 320 vagas. As obras devem ser entregues em agosto de 2011.

Projetado por Oscar Niemeyer, o complexo de 30 mil metros quadrados foi sede da Bloch Editores, a gigante da imprensa brasileira declarada falida há oito anos. Inicialmente, chegou a ser mobiliado com mesas e cadeiras desenhadas por Sérgio Rodrigues e decorado com obras de artistas famosos, incluindo Cândido Portinari.

O imóvel está alugado para a Universidade Salgado Oliveira (Universo) até 2011. Em 2007, a entidade tentou arrematá-lo em outro leilão, por R$ 28 milhões, mas não conseguiu, porque a oferta foi muito baixa.

Impactante, o complexo de 12 andares chama a atenção na paisagem da Glória desde 1968. Foi construído especialmente para abrigar a Bloch e suas revistas Manchete, Fatos e Fotos e Desfile, entre outras. Nos anos 80, recebeu a TV Manchete.

Nos anos áureos, o edifício da Rua do Russel recebeu a visita de presidentes, governadores e artistas. Até sua morte, Juscelino Kubitschek chegou a ter um escritório no último andar, montado pelo amigo Adolpho Bloch. O velório do ex-presidente, em 1976, foi realizado no saguão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.