Bordão 'imagina na Copa' vira site

Grupo de jovens quer aproveitar Mundial 2014

CAMILLA BRUNELLI, O Estado de S.Paulo

11 de novembro de 2012 | 02h05

"Se agora já está assim, imagina na Copa." A frase que já virou bordão - no trabalho, em bares, nas redes sociais - relaciona a situação atual à que será enfrentada em 2014. É muito comum ouvi-la e quase sempre em tom de pessimismo. Mas um grupo de ousados jovens quer mudar esse rótulo negativo. Eles notaram que existe um movimento de transformação ocorrendo em vários cantos do País e querem aproveitar o momento.

A jornalista Mariana Ribeiro, o videomaker Tiago Pereira e as publicitárias Fernanda Cabral e Mariana Campanatti conheceram vários projetos de impacto social bem-sucedidos. "São jovens que pararam de reclamar e se organizaram para tentar melhorar as coisas", disse Mariana.

O plano era o seguinte: conseguir R$ 20 mil em um mês por meio de crowdfunding para criar um site com histórias de projetos que deram certo. O valor foi obtido dois dias antes de o prazo esgotar. Depois, realizaram uma oficina-piloto para 20 dos 300 jovens que participaram do "Encontro dos Sonhos", uma espécie de congresso realizado na Casa das Caldeiras, na zona oeste.

Agora, estão na fase de produção do site (www.imaginanacopa.com.br), apuração de mais histórias e captação e edição de imagens. O site deve ficar no ar até 12 de julho de 2014.

Em cada uma das cidades-sede, um "embaixador" vai representar o Imagina na Copa. "É como se as cidades-sede fossem nosso centro de distribuição. Vamos ministrar as oficinas lá e utilizar 'cases' da região para que haja uma identificação com a realidade local. A partir daí, o conhecimento vai se dissipar."

Entre os projetos está o Que Ônibus Passa Aqui, feito por gaúchos que se indignaram com a falta de sinalização dos pontos de Porto Alegre. Eles criaram adesivos com espaços em branco e colaram em diversas paradas para que passageiros escrevam que linhas passam no local.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.