Bope na Maré: 'Vamos partir para cima'

Com o objetivo de controlar as 16 favelas ao longo das principais vias expressas do Rio para a Copa de 2014 e a Olimpíada de 2016, o governo do Estado vai transferir até o fim do ano o Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) para o Complexo da Maré, na zona norte. Há mais de um ano existe uma guerra entre facções rivais no local.

, O Estado de S.Paulo

04 de maio de 2010 | 00h00

No domingo, o gráfico Márcio Marinho de Souza, de 32 anos, foi morto em uma incursão da Polícia Civil no complexo, que também matou cinco traficantes. Após a instalação do Bope, a Maré ainda deve ganhar uma Unidade de Polícia Pacificadora.

A tropa ficará na Favela Roquete Pinto, dominada por milicianos. "O que tiver na nossa frente, nós vamos partir para cima", disse o comandante do Bope, Paulo Henrique de Moraes.

Aviso

PAULO HENRIQUE DE MORAES

COMANDANTE DO BOPE

"Vamos fazer o mapeamento das quadrilhas. Sonho que entro lá e eles se rendem. Se a guerra acontecer, a culpa será deles."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.