Boom imobiliário e baladas agravam o trânsito da região

Moradores reclamam de tráfego intenso em vias secundárias; CET vai criar vagas de estacionamento e instalar semáforos

, O Estado de S.Paulo

12 Setembro 2010 | 00h00

O boom imobiliário dos últimos anos no Jardim Anália Franco e no Tatuapé resultou no agravamento de um problema comum em outras regiões: o trânsito. O problema é duplo. Para ir ao centro da cidade, os moradores têm de enfrentar vias constantemente congestionadas - como a Radial Leste, Avenida Salim Farah Maluf e Marginal do Tietê.

Além disso, as queixas sobre as ruas dos bairros só aumentam. A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) afirma que já está ciente dos transtornos na região.

Ruas como Itapura, Apucarana e Eleonora Cintra ficam paradas logo nas primeiras horas do dia. Longas filas de carros também são frequentes na entrada dos shoppings.

De acordo com a CET, o aumento de trânsito ocorre não só por causa dos lançamentos imobiliários, mas também pelo aquecimento comercial e o movimento das escolas da região.

No período noturno, o problema fica mais complicado, segundo a CET. Por causa do número cada vez maior de bares e casas noturnas, o tráfego de veículos aumenta ainda mais.

Apesar de reconhecer a piora na fluidez dos veículos, a CET só monitora a lentidão nas vias mais importantes e não nas ruas dos bairros. "Aqui nas ruas é pior do que na Radial", diz o morador do Anália Franco André Galeão, de 20 anos, que é dono de uma loja de roupas. "Eu demoro mais tempo para andar por poucas ruas aqui do bairro do que para rodar quilômetros na Marginal."

O vendedor de carros Roberto Macedo, de 36 anos, reclama que já na garagem do prédio sente o reflexo do adensamento da região. "São dez minutos só para chegar na rua e depois tem a encrenca de verdade."

Melhorias. Em nota, a CET destaca a implementação de rede de semáforos em cruzamentos específicos. Nos últimos anos, cruzamentos considerados tranquilos até pouco tempo atrás ganharam semáforos.

A companhia informa que há a previsão da implementação de novos semáforos, como no cruzamento da Ruas Vilela e Serra de Botucatu, além da criação de vagas de estacionamento nas principais vias da região, principalmente em áreas de comércio.

A CET também afirma que tem acompanhado periodicamente a entrada e saída de alunos nas escolas, além de restringir o estacionamento em cruzamentos críticos.

Assaltos. O medo da violência é uma constante entre os moradores do Jardim Anália Franco e Tatuapé. Por isso, os donos de imóveis de luxo preferem o anonimato. Ente junho de 2009 e junho de 2010, o aumento dos furtos e roubos de veículos na região atendida pela 5.ª Seccional (Leste) foi o maior da cidade. No período, o número de furtos aumentou 54%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.