Bombeiros encontram mais dois corpos em Congonhas

Com essas duas novas vítimas, número de mortos na tragédia sobe para 187

Bruno Moreschi, do Estadão,

19 de julho de 2007 | 14h34

O número de vítimas do maior acidente da história da aviação brasileira subiu, no início da tarde desta quinta-feira. O Corpo de Bombeiros conseguiu retirar mais um corpo e localizar outro, entre os escombros do prédio da TAM Express e os pedaços do avião Airbus A320 da TAM, subindo para 187 o número de mortos.    Lista completa dos mortos Quem são as vítimas do vôo 3054 As histórias das vítimas da tragédia O local do acidente Opine: o que deve ser feito com Congonhas? Os acidentes mais graves da aviação brasileira Cronologia da crise aérea Conheça o Airbus A320 A repercussão da tragédia no mundo Assista a vídeos feitos no local do acidente Conte o que você viu e o que você sabe     Segundo o tenente Lopes, um dos responsáveis pelas buscas no local, na Avenida Washington Luiz, na zona sul de São Paulo, a prioridade dos bombeiros nesta quinta-feira é remover os entulhos que estão no entorno, porque tem muita coisa impedindo a entrada no prédio - onde existe a expectativa que ainda haja mais vítimas.   O principal problema que eles estão tendo é chegar no bico do avião, porque é a parte da aeronave que, com a explosão, ficou mais comprimida com cimento. Após a retirada dos escombros que impedem a entrada no prédio, os bombeiros esperam instalar apoios que impeçam que o prédio desabe,de acordo com informações do tenente.   Mais Vítimas   A identidade do ferido que morreu na madrugada desta quinta, no Hospital Jabaquara, na zona sul, não foi divulgada pela Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo, que informou que ele morreu por volta das 3h30. De acordo com a secretaria, ainda são sete os feridos que estão internados em hospitais da cidade após o acidente na região de Congonhas, na zona sul.   Nesta madrugada, nenhum corpo foi encontrado. Sobre os escombros do acidente foram encontrados dois carros que ficaram completamente amassados. Não há previsão para o encerramento dos trabalhos e nem perspectivas de um número de vítimas. Ao ser questionado sobre sua impressão ao visitar o local do acidente,o secretário de Segurança Pública, Ronaldo Marzagão, ficou bastante emocionado.   "São cenas muito tristes que embora estejamos acostumados a vê-las. Mas ao ver as pessoas saindo de fumegando, como eu vi pessoas, enfim. Parece uma senhora com uma criança no colo", lembrou o secretário.  

Mais conteúdo sobre:
vôo 3054

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.