Nilton Fukuda/AE
Nilton Fukuda/AE

Bombeiros acham corpo de 2ª vítima de deslizamento próximo à Diadema

Menino de 3 anos e jovem grávida morreram no acidente em favela no extremo sul de São Paulo

estadão.com.br

07 Julho 2011 | 16h18

SÃO PAULO - Os bombeiros encontraram na tarde desta quinta-feira, 7, o corpo de um menino de 3 anos, segunda vítima de um deslizamento de terra da Favela Mata Virgem, no extremo sul de São Paulo, divisa com o município de Diadema, no Grande ABC. No início da tarde, uma mulher grávida, de 17 anos, foi retirada morta dos escombros. De acordo com a Defesa Civil da capital, duas crianças foram resgatadas com ferimentos leves.

 

Segundo o Corpo de Bombeiros, sete casas foram atingidas pela terra por volta das 11h30. No local do acidente é realizado há um ano e meio uma obra de reurbanização pela Prefeitura de São Paulo. 

 

De acordo com a Prefeitura, cerca de 422 famílias foram retiradas da região e recebem auxílio aluguel no valor de R$ 300 mensais. Outras 78 famílias não aceitaram ser removidas. A comunidade foi uma das 24 áreas de risco mapeadas na região da Subprefeitura de Cidade Ademar, pelo estudo do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT/USP). O Morro dos Macacos, onde fica a favela, recebeu classificação R4, que significa alto risco de deslizamento e solapamento.

 

Foram enviadas 20 viaturas dos bombeiros para socorrer as vítimas na Rua da Saúde, próximo à Avenida Alda, altura do número 2.000, além de pelo menos dois helicópteros Águia da Polícia Militar. Cães farejadores dos bombeiros também ajudaram no resgate.

 

Segundo a Prefeitura, até por volta das 19 horas haviam sido condenadas dez moradias e 24 permaneciam interditadas. Um posto da Secretaria Municipal de Habitação foi montado para o atendimento dos moradores da região, onde está também a base móvel da Defesa Civil. Trezentos colchões, cestas básicas, kits de higiene e cobertores foram levados por assistentes sociais do município.

 

Texto atualizado às 19h30.

Mais conteúdo sobre:
deslizamento de terra Diadema ABC

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.