Bombeiro levou 3 tiros e ainda foi atropelado

O assassinato de Osvaldo Piedade, de 44 anos, chamou muito a atenção, principalmente por ele ser um bombeiro, figura muito querida da população. No dia 18 de outubro, ele estava na porta de casa - não costumava sair muito- , em Artur Alvim, na zona leste, quando ocupantes de um Gol passaram atirando.

/ V.F., O Estado de S.Paulo

18 Novembro 2012 | 02h03

Sua morte teve requintes de crueldade. O bombeiro foi baleado na barriga, na virilha e em uma perna. Piedade ainda foi atropelado pelos criminosos, que passaram com o carro por cima de suas pernas, como se quisessem ter certeza de que ele não sobreviveria.

Ele foi encaminhado por bombeiros para o Hospital Santa Marcelina, mas não resistiu aos ferimentos. Morreu na madrugada do dia seguinte, segundo a Polícia Militar.

Piedade estava afastado do trabalho havia 10 anos, por problemas psiquiátricos. E, por causa do longo período, ganhou direito à aposentadoria.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.