Bola Preta ameaça tomar do Galo posto de maior do mundo

Organizadores estimam que 2 milhões de foliões tenham participado ontem do desfile do bloco carioca

Glauber Gonçalves, O Estado de S.Paulo

06 Março 2011 | 00h00

O tempo fechado e a chuva fina não tiraram o ânimo dos cerca de 2 milhões de cariocas e turistas que, segundo os organizadores do bloco, lotaram ontem pela manhã as ruas do centro do Rio, para se juntar ao tradicional Cordão da Bola Preta.

O bloco carioca já ameaça o título de maior do mundo do Galo da Madrugada, de Recife, concedido em 1995 pelo Guiness Book - os próprios diretores da agremiação pernambucana admitem que podem perder a liderança. A expectativa, no início do desfile em Recife, era de levar 1,6 milhão de pessoas às ruas, quebrando o próprio recorde de 1,5 milhão.

Quem tentou transitar pela Avenida Rio Branco teve dificuldade de atravessar o mar de gente. O Bola Preta saiu às 10h, mas os foliões começaram a chegar bem mais cedo.

A universitária Amanda Medeiros, de 24 anos, saiu de casa no Recreio, na zona oeste, às 7h para seguir o bloco. Ela e 20 amigos e parentes participam da festa há três anos. "Ficamos parados aproveitando a festa, porque, com a multidão, não dá pra ficar atrás do bloco", diz.

Também houve espaço para blocos novos. Em 2011, saiu pela primeira vez o Feitiço do Villa, que, celebrando a data de nascimento do compositor e maestro Heitor Villa-Lobos, comemorada ontem, misturou instrumentos de orquestra e samba.

O advogado Guilherme Mendonça, de 30 anos, acompanhava o bloco, depois de já ter passado pelo Bola. "O mau tempo não desanimou", disse o folião, que tem ido a blocos desde dezembro. Na zona sul, também desfilaram ontem o Céu na Terra, em Santa Teresa, o Empolga às 9, em Copacabana, e a Banda de Ipanema. / COLABOROU ANGELA LACERDA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.