Boato de suicídio de atleta na prisão tumultua júri

O depoimento de Fernanda no Tribunal do Júri foi marcado por um tumulto provocado pela informação de que o goleiro teria se suicidado em uma cela da Penitenciária Nelson Hungria, também em Contagem (MG). O advogado de Bruno, Lúcio Adolfo Silva, também recebeu a informação. Durante o julgamento, ele atendeu um telefonema e jogou uma garrafa de água no chão. Depois de muita correria e agitação, porém, Adolfo confirmou que havia conseguido contato com a direção do presídio e a informação era falsa. "Foi só um boato. Ele está bem. Não tentou se suicidar, não está doente, não desmaiou nem nada." / M.P.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.