Bloqueios em bares são derrubados

Três dos cinco bares emparedados na terça-feira pela Prefeitura de São Paulo por desrespeito ao Programa do Silêncio Urbano (Psiu) amanheceram ontem com os muros destruídos. Os proprietários de dois deles - o Camará, na Luis Murat, e o Copo a Copo, na Rua Cardeal Arcoverde - afirmaram, entretanto, que não derrubaram os bloqueios. "Nunca desacataria uma ação da Prefeitura", disse o dono do Copo a Copo, Enézio Amancio.

Paulo Saldaña, O Estado de S.Paulo

24 Fevereiro 2011 | 00h00

Na parede dos bares havia cartazes com frases afirmando ser proibido "amar", "cantar" e "beber" no local - ironizando os lacres da Prefeitura. O proprietário do Camará, Emerson Silveira - que também é presidente da Associação de Bares e Restaurantes da Vila Madalena -, afirmou que jamais trabalharia irregularmente. "Quando soube, liguei na Prefeitura e avisei", disse ele, que nega que tenha sido multado e notificado sobre irregularidades.

Apenas um dos endereços, também na Cardeal Arcoverde, chegou a funcionar. Segundo vizinhos, foram os donos desse bar que destruíram os muros. No fim da tarde, a Prefeitura refez dois dos bloqueios - somente o do Camará será feito hoje.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.