Sergio Castro/Estadão
Sergio Castro/Estadão

Bloqueio na Vila Madalena vai limitar número de foliões

Foliões chegaram a entrar em confronto com a PM, que teve dificuldades para dispersar multidão após horário-limite do carnaval

O Estado de S. Paulo

20 Fevereiro 2015 | 03h00

SÃO PAULO - Neste sábado, 21, a festa deve começar cedo na Vila Madalena, na zona oeste de São Paulo, com a concentração do Bloco Os Madalena, às 13 horas, no cruzamento da Rua Colonização. Mas, ao contrário do que ocorreu durante todo o carnaval, os eventos deste fim de semana terão limite de público e uma série de regras, incluindo definição de pontos de entrada e saída e veto a ingresso com bebidas alcoólicas.

Neste ano, foliões chegaram a entrar em confronto com a Polícia Militar, que teve dificuldades para dispersar a multidão após o horário-limite do carnaval na Vila Madalena - a regra das 22 horas acabou não sendo respeitada. Como o Estado adiantou na quarta-feira, o subprefeito de Pinheiros, Ângelo Filardo, propôs que o miolo do bairro fosse cercado e acessado somente após revista pessoal. O secretário estadual da Segurança Pública, Alexandre de Moraes, também disse que faltou “organização e regulamentação” e sugeriu uma série de regras, como um limite de 15 mil foliões para eventos.

As propostas foram levadas nesta quinta a uma reunião na sede da Secretaria da Segurança Pública, que teve a presença de Moraes; do comandante geral da PM, Ricardo Gambaroni; do subprefeito de Pinheiros; e de representantes da Companhia de Engenharia de Tráfego.

Após o encontro, em nota oficial, Moraes destacou que “a delimitação de local físico para a realização do evento, com bloqueio no acesso de veículos automotores e pontos específicos de entrada e saída de pessoas, permitirá um efetivo controle para se evitar o ingresso clandestino de bebidas, drogas, garrafas, comidas e armas”. A fiscalização será feita pela Prefeitura e o policiamento será reforçado após as 13 horas.

Mais conteúdo sobre:
Vila Madalena Carnaval

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.