Blogueiras apontam a moda que vai às ruas

Preto, estampas gráficas e assimetria são as apostas de jovens que acompanharam desfiles

Flávia Tavares, O Estado de S.Paulo

03 Fevereiro 2011 | 00h00

Seis dias e 32 desfiles depois, é hora de filtrar o enorme volume de informações que a São Paulo Fashion Week apresentou para as próximas estações. Três jovens blogueiras de moda acompanharam as coleções dos principais estilistas do País e contam o que viram de mais empolgante.

Algumas tendências apareceram, com maior ou menor intensidade, na maior parte dos desfiles. Como as peças são de inverno, o preto reinou soberano - vide Alexandre Herchcovitch. "Mas as estampas gráficas também estão muito em alta", destaca Cecilia Lima, do site Closet on Line.

Já a repórter de moda da MTV e blogueira do Agora que Sou Rica, Jana Rosa, lembra que "looks de uma cor só também apareceram, na Ghetz e Cori, por exemplo".

As maiores inovações estão mesmo nos materiais das roupas. A pele, natural ou sintética, e o couro foram as estrelas. Mas não é o couro tradicional - ele é quase um tecido, tem texturas mais condizentes com o inverno tropical. "Acho que a mistura de materiais leves com pesados vai pegar na moda do dia a dia", diz Bia Perotti, do blog Achados da Bia. "Talvez a gente não use pele e couro toda hora, mas em ocasiões um pouco mais especiais, vamos usar, sim."

As modelagens trouxeram elementos bem variados, que poderão agradar a diversos tipos de consumidoras. "De tanto baterem na tecla das peças desestruturadas e assimétricas, acho que dessa vez vai pegar", diz Cecilia. Bia se animou com as saias e os vestidos de comprimento mais longo, forte tendência lá fora, mas que sempre tiveram resistência no Brasil. "Também me anima a mistura de masculino com feminino." As peças grunge de Juliana Jabour e o visual esporte-luxo da Huis Clos, por sua vez, agradaram a Jana Rosa. "O bom é que todas essas tendências devem chegar às ruas. Tudo é usável, não teve nada de muito estranho."

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.