Blocos param de tocar, mas multidão ainda ocupa Pinheiros e Vila Madalena

Blocos param de tocar, mas multidão ainda ocupa Pinheiros e Vila Madalena

Grupos cumprem determinação da Prefeitura de encerrar a música até as 22 horas, mas foliões continuam fazendo festa nas vias

Edgar Maciel, O Estado de S. Paulo

07 Fevereiro 2015 | 22h28

Mesmo cumprindo a determinação da Prefeitura de São Paulo de encerrar os blocos de rua até as 22 horas, os foliões não acabaram com a festa. As ruas da Vila Madalena e de Pinheiros continuam lotadas. 

Os bares da região contrataram bandas para entreter o público. No cruzamento da Aspicuelta com a Frade Coutinho, o pagode e o samba de raiz dominam as canções. "Só saio daqui carregado", disse o administrador José Franco, de 28 anos, morador da zona sul de São Paulo.

Alguns moradores da região já começam a reclamar do barulho excessivo. "Tenho um filho de 1 ano. A gente entende que é carnaval, época de festa, mas precisa ter um horário limite", reclamou Neusa Camargo, que mora na Rua Wisard.


Na Rua Pedroso de Morais, em Pinheiros, as marchinhas e a música popular brasileira animam mais de 500 pessoas ao longo da noite deste sábado. Marieli Franceschi veio de Porto Alegre para aproveitar o pré-carnaval de São Paulo. "Vim visitar uma amiga de São Paulo e não podia deixar de passar o dia na rua, aproveitando essa festa linda. Está tri legal, mas os paulistanos são parados", brinca a gaúcha.

Neste sábado, os blocos levaram cerca de 200 mil pessoas às ruas em São Paulo, segundo estimativa da Prefeitura de São Paulo.

Mais conteúdo sobre:
São Paulocarnaval

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.