Caio Faheina, especial para o Estado
Caio Faheina, especial para o Estado

Bloco do Rio anima foliões em Pinheiros

Fantasia de Jenifer, uma das músicas de maior sucesso deste verão, é tendência entre os paulistanos que foram curtir o pré-carnaval

Caio Faheina, especial para o Estado, O Estado de S.Paulo

23 de fevereiro de 2019 | 16h53

O último fim de semana em São Paulo antes do calendário oficial do Carnaval já é termômetro para saber como será a folia nos próximos dias. Nas imediações do cruzamento das avenidas Faria Lima e Juscelino Kubtisheck, em Pinheiros, zona oeste paulistana, o bloco Bangalafumenga anima foliões neste sábado, 23.

Em 2019, o tradicional bloco carioca, que comemora 21 anos — destes, oito em São Paulo —, ainda não iniciou a festa. Diferentemente dos anos anteriores, o “Banga”, como é conhecido, traz, junto ao tema “Mãe D’água”, uma alegoria colorida, porta-bandeira e até intérprete de libras. “A gente quer aumentar a brincadeira. Mas, o mais importante deste momento é juntar a rapaziada, fazer alegria".

"Um pretexto pra estarmos juntos”, reconhece um dos fundadores do bloco, Rodrigo Maranhão. Ele também conta que uma participação especial fará toda a diferença neste ano: Maria Rita sobe ao palco para dar voz à canções como Caminho das Águas (composição de Maranhão), Não Deixe o Samba Morrer e Vou Festejar.

Fantasiada de Jenifer, título da canção de Gabriel Diniz, Sandra Higa, de 50 anos, continua animada, mesmo com a espera. “É a minha primeira vez neste bloco e estou curtindo. Vim com as amigas”. Sobre a fantasia, a administradora brinca: “O povo não tá querendo a Jenifer”. A fantasia foi vista pela reportagem mais de três vezes.

Ao todo, 53 músicas farão parte do repertório do Banga, que sai em cortejo ao longo de toda a avenida JK. Autorais ou não, as canções transitam entre sambas, marchinhas e cirandas. “Tem (música) pra se emocionar e sacudir”, promete Maranhão.

O designer Romulo Tebald, de 36, e a fotógrafa Charlene Caldellas, de 37, trouxeram a pequena Olívia, de 1 ano e 9 meses, para acompanhar o bloco. “O acesso está muito fácil. Estou me sentindo segura e despreocupada. Pra quem vem com criança, está bem tranquilo”, confirma Charlene, que veio com a família para conhecer os ritmos do Banga.

Nove policiais militares estão alocados no entorno do bloco. De acordo com Cabo Félix, cerca de 85 PMs estão espalhados pela região de Pinheiros. Segundo ele, até às 17 horas nenhuma ocorrência chegou até o destacamento instalado próximo ao trio do bloco Bangalafumenga. A administração da base móvel do posto médico também afirmou que nenhuma situação considerada “grave” foi registrada até aquele momento. A Polícia Militar não divulgou balanço do número de foliões que acompanham o bloco.


 

Mais conteúdo sobre:
carnavalbloco de carnaval

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.