Blitz em itens natalinos: 21% de problemas

Um quinto dos produtos de Natal vendidos no Estado de São Paulo foi reprovado por apresentar irregularidades, segundo levantamento do Instituto de Pesos e Medidas do Estado de São Paulo (Ipem-SP). A fiscalização do órgão vistoriou alimentos, papéis de embrulho e velas, entre outros objetos, e reprovou 21,79% dos produtos natalinos. O índice é considerado preocupante.

SAULO LUZ, O Estado de S.Paulo

07 Dezembro 2011 | 03h03

Na ação que aconteceu nos últimos dois dias, o Ipem-SP recolheu amostras de 179 produtos destinados às festas de fim de ano na capital e outras 6 cidades (Bauru, Campinas, Presidente Prudente, Ribeirão Preto, São José do Rio Preto e São José dos Campos) e os analisou em laboratório. No total, 39 itens apresentaram irregularidades. Na capital, 12 dos 59 produtos analisados foram reprovados (18,74%).

No ano passado, operação semelhante reprovou 18,5% dos itens. "O índice de erros é grande porque muitos produtos são de fabricação artesanal", diz José Tadeu Rodrigues Penteado, superintendente do Ipem-SP. A fiscalização se concentrou nos produtos pré-medidos (pesados sem a presença do consumidor).

Quantidade. Os produtos que mais apresentaram irregularidades foram os panetones, as frutas secas e as velas decoradas. "Encontramos velas com menos 24,7 gramas em um produto de 162 gramas", diz Penteado.

Outros problemas foram encontrados em itens como fitas de embrulho, frutas cristalizadas, biscoitos, chocolates e cerejas. O principal problema foi de produtos cuja embalagem informava um peso mas, na realidade, tinham quantidade menor. Na capital, amostras de panetones de 1kg apresentaram falta de 29 gramas e unidades de 500g, menos 58,7g - o maior erro.

As empresas autuadas podem receber multa de R$ 100 a R$ 1,5 milhão (dobrando na reincidência) e têm dez dias para recorrer.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.