José Patrício/Estadão
José Patrício/Estadão

Bilhete Único anônimo deixa de ser emitido

Suspensão visa combater fraudes e melhorar a segurança do sistema e dos usuários

Ana Paula Niederauer e Juliana Diógenes, O Estado de S.Paulo

07 Junho 2018 | 10h52

SÃO PAULO - O cartão Bilhete Único anônimo(sem identificação do usuário) deixa de ser emitido a partir desta quinta-feira, 7, segundo a Prefeitura.

A São Paulo Transporte (SPTrans) esclarece que mudou as regras do Bilhete Único sem personalização para melhorar a segurança do sistema e dos usuários.

Segundo o secretário de Mobilidade e Transportes, João Octaviano Machado Neto, o cidadão que tiver o Bilhete Único anônimo vai poder usá-lo normalmente. "Quando for fazer a recarga, o cartão vai passar por uma verificação para descartar o uso em algum processo de fraude. Se houver a constatação de fraude, o bilhete será cancelado", explicou o secretário.

A SPTrans intensificou ações nesse sentido desde o início de 2017. Nesse período, mais de 650 mil cartões foram cancelados e apreendidos por fraude. Só no ano de 2018, mais de mil pessoas foram indiciadas pela Polícia. 

De acordo com a SPTrans, para fazer o bilhete único o usuário terá que apresentar um documento com foto e número do CPF em um dos postos de venda e atendimento. Antes, o número de cartões era ilimitado. Agora, passa a ser um cartão por CPF. O valor de aquisição é o mesmo: uma tarifa e uma carga mínima de 5 passagens, totalizando R$ 24. 

João Octaviano Machado Neto recomenda ao usuário do Bilhete Único fazer previamente o cadastro no site da SPTrans para evitar filas nos guichês. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.