Marcio Fernandes/AE
Marcio Fernandes/AE

'Bico oficial' da PM já tem patrulhas no Itaim-Bibi

Operação Delegada começou há duas semanas na Avenida Faria Lima e deve ser expandida para Joaquim Floriano e João Cachoeira

Nataly Costa, O Estado de S.Paulo

10 Novembro 2011 | 03h04

A Operação Delegada chegou ao Itaim-Bibi, na zona sul. O "bico oficial" dos policiais militares que trabalham para a Prefeitura em horário de folga para coibir os ambulantes começou há duas semanas na Avenida Brigadeiro Faria Lima, com 40 PMs por dia circulando fardados, principalmente no trecho entre as Avenidas Rebouças e Cidade Jardim. O próximo passo é levar a operação para as Ruas Joaquim Floriano e João Cachoeira, principais vias de comércio do bairro.

A operação é uma das principais bandeiras da segunda gestão do prefeito Gilberto Kassab (PSD), que promete expandi-la para toda a cidade desde agosto de 2010. Hoje, além da Rua 25 de Março, onde a atividade começou há dois anos, já existem policiais fazendo hora extra também no Brás, na Vila Mariana, em Pinheiros, Santana e Santo Amaro, além da Avenida Paulista.

A Prefeitura constatou que os antigos ambulantes expulsos do Largo da Batata e da Rua Teodoro Sampaio (em Pinheiros) pela própria Operação Delegada migraram para a Faria Lima e adjacências. Decidiu-se, então, partir para a ofensiva contra o comércio irregular também no Itaim-Bibi, área nobre da zona sul da capital.

Sem querer concorrência por perto, os donos de lojas nas ruas transversais à Faria Lima também passaram a pleitear policiamento extra - nas Ruas Tucumã e Angelina Maffei Vita a ronda já começou. Comerciantes da João Cachoeira enviaram um ofício à Subprefeitura de Pinheiros pedindo a Operação Delegada também naquela rua, que funciona como uma espécie de "centro" do Itaim, com comércio movimentado de segunda-feira a sábado. Lá, pelo menos 15 ambulantes já têm "pontos fixos" - segundo os lojistas, oriundos do Largo da Batata e da 25 de Março.

"A presença da polícia é fundamental principalmente para combater roubos, que estão crescendo na nossa área. E o perigo fica ainda maior nessa época do ano, por causa das compras de Natal", afirma o presidente da Associação de Lojistas da João Cachoeira, Felipe Naufel.

Segurança. Em todos os lugares onde a Operação Delegada entra em operação, o "efeito colateral" é a diminuição de crimes na área, por causa da presença dos policiais. Na 25 de Março, a polícia afirma que os roubos caíram entre "80% e 90%" desde o início da Operação Delegada, em novembro de 2009.

Moradores e pessoas que trabalham nos prédios empresariais do Itaim relatam assaltos frequentes nas imediações das Ruas Clodomiro Amazonas, Tabapuã, Manoel Guedes e Horácio Lafer. Grande parte "facilitada" pelo trânsito. "Outro dia, um diretor da minha empresa foi assaltado à mão armada na esquina do prédio. Levaram relógio e celular. Os bandidos veem que fica tudo parado no trânsito e aproveitam para assaltar", comenta um administrador de condomínios empresariais, sem se identificar.

Números do 23.º Batalhão - responsável pela área do Itaim, Vila Nova Conceição, Vila Olímpia e Jardins Paulista, Europa e América - mostram que o número de roubos nessa área caiu de 147 para 119 na comparação entre outubro deste ano e o mesmo período do ano passado. "Essa é uma região complexa porque, além de englobar seis bairros, são 107 agências bancárias e dois clubes, muitos empresariais", afirma a PM, em nota. Os roubos de carros caíram 53% na mesma região, segundo a polícia.

PONTOS-CHAVE

Missão inicial era combate a ilegais na 25

O começo

Em novembro de 2009, um grupo de cem policiais foi escalado para uma missão complexa: coibir o comércio irregular na Rua 25 de Março.

Ampliação

Em pouco tempo, teve seu leque de atuação ampliado. Hoje, o convênio abrange combate a ilegais e meio ambiente, com ações para impedir invasões de terra.

Futuro

Hoje, o ‘bico’ é analisado por 20 municípios do interior e pelos governos do Rio e de Mato Grosso do Sul. Mogi das Cruzes foi a primeira cidade de fora a aderir.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.