Biblioteca foi obra de 20 arquitetos

O escritório paulistano de arquitetura Aflalo & Gasperini levou oito meses para conceber o projeto da mais moderna biblioteca do Estado: a Biblioteca de São Paulo, inaugurada em fevereiro de 2010 no Parque da Juventude, na zona norte, no mesmo endereço onde ficavam os pavilhões da Casa de Detenção do Carandiru.

O Estado de S.Paulo

04 de novembro de 2012 | 02h07

Para a missão de projetar o espaço, de 4,2 mil m², o escritório destacou 20 profissionais da equipe. Antes, o mesmo escritório já havia sido responsável pelo projeto que transformou o antigo Carandiru no Parque da Juventude.

Em pesquisa realizada pelo Estado em 2009, 52% dos arquitetos paulistanos consultados apontaram o Aflalo & Gasperini como o melhor escritório da cidade. A empresa, onde hoje atuam mais de 50 arquitetos, nasceu em 1962, quando Plinio Croce (1921-1984) e Roberto Aflalo (1926-1992) - ambos formados pela Universidade Mackenzie - se juntaram a Gian Carlo Gasperini, graduado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro e recém-chegado a São Paulo. De lá para cá, a empresa projetou mais de 1.300 prédios, a maioria na capital. De suas pranchetas saíram, entre outros, o Colégio Visconde de Porto Seguro (1963); o Shopping Iguatemi (1964); a sede do Tribunal de Contas do Município (1971); o complexo World Trade Center (1992) e o Credicard Hall (1997). / EDISON VEIGA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.